Ceará corre o risco de amargar sexto ano de seca seguido, diz Funceme

O La Niña, fenômeno climático que poderia por fim a seca prolongada no Ceará pode “perder forças” entre março e abril do próximo ano. Com isso, a tendência é que o Estado amargue o sexto ano consecutivo de seca. A  análise é da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).
Segundo a Funceme, nos próximos meses, as chuvas devem ocorrer somente entre dezembro e janeiro, na chamada pré-estação no sul do estado. A Fundação, por sua vez, não fecha as portas, e não sabe precisar se em 2017 vai ser um ano de inverno rigoroso ou de seca. A possibilidade do La Niña trazer chuvas não animam os meteorologistas.
Dos 153 açudes cearenses monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), um total de 89 estão com volume abaixo de 10%. Segundo a Agência Nacional das Águas (ANA) o Ceará atingiu um nível de seca drástico na escalada estiagem medida pelo órgão.

Ceará Agora
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe