Ciro Gomes acusa Tasso de ter mandado atirar em PMs em 1997

Em entrevista à Rádio Tupinambá, de Sobral, na última sexta-feira, 29, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) acusou o senador e ex-governador do Ceará Tasso Jereissati (PSDB) de ter mandado atirar em policiais militares e civis que participavam de greve, em julho de 1997.
“O Tasso, quando era governador (do Ceará), houve um motim na Polícia Militar, e eu estava junto com o Tasso quando ele mandou atirar nos grevistas. Mandou atirar.
O coronel disse assim: ‘Mas, governador, pode morrer gente’. Que morra! Isso foi filmado lá. Houve tiro, gente foi ferida, o diabo”, afirmou Ciro, ex-pupilo do senador por mais de duas décadas, período no qual foi eleito prefeito de Fortaleza e governador do Ceará com a ajuda de Tasso.
Em troca de tiros entre a tropa de choque da PM e policiais durante a paralisação da categoria, em 29 de julho daquele ano, cinco pessoas ficaram feridas. Entre elas, o comandante-geral da PM na época, coronel Mauro Benevides, atingido nas costas por disparo.
Mais velho dos irmãos Ferreira Gomes e pré-candidato às eleições presidenciais de 2018, Ciro também falou que o senador tucano, “meu velho amigo, perdeu qualquer espírito público. Acho que ficou magoado com a derrota”.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe