Contrato para hotel 7 estrelas deve ser assinado em 15 dias

Cascavel, Aracati e Beberibe são os três municípios escolhidos pela empresa General Mediterranean Holding (GMH), para receber o Le Royal, projeto estimado em R$700 milhões. A empresa prevê a implantação de três grandes hotéis, um em cada cidade, estando entre eles o segundo resort sete estrelas do mundo, previsto para ser instalado em Cascavel, como conta o diretor presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasileira (CCIBRA), Ghassan Saab, representante da GMH do Brasil.
O empresário libanês esteve ontem (1º) em Aracati para assinar a carta de intenção para a compra do terreno de 150 hectares, localizado na orla de Canoa Quebrada, onde ficará o Le Royal Bora Bora do Brasil. Também estiveram no ato, a primeira dama de Aracati, Eline Gomes, além do presidente da empresa Visão Empreendimentos, Walquimar Santos, atual proprietário do terreno onde ficará o hotel. Segundo Saab, o mesmo documento será assinado em Beberibe amanhã (03), e em Cascavel na quinta-feira (04).
De acordo com o empresário, o diretor presidente da GMH, Nadhmi Auchi, deverá partir da Inglaterra rumo ao Ceará em 15 dias para conhecer os terrenos e cidades onde serão implantados os hotéis. Na visita, como conta o Saad, Auchi deverá fechar os contratos, iniciando as três obras em um ano.

Momento histórico
Para o prefeito de Aracati, Ivan Silvério, o hotel será inspirado nos estabelecimentos da ilha de Bora Bora, na Polinésia Francesa. A estrutura contará com bangalôs de madeira sobre a água do mar (artificial). "Em um mês e meio já foram feitas três visitas dos empresários aqui em Aracati. Receber um investimento desse gera empregabilidade e renda. Um momento marcante e histórico não só para o nosso Estado, mas para o País", comemora o prefeito, enfatizando que apenas no hotel de Aracati serão gerados 600 empregos diretos, sendo 90% das vagas preenchidas por moradores do município ou proximidades.
Silvério ressalta ainda que, como medida de incentivo, a prefeitura doará um terreno de 50 hectares à empresa investidora para a construção de uma casa, que hospedará os funcionários do empreendimento. Em contraponto, o prefeito ressalta que a empresa estrangeira tem interesse de construir uma escola na região, para ensinar inglês aos moradores e visitantes.
Para o secretário de Turismo e Cultura do município de Aracati, Marcos Vieira, a escolha do Ceará, pelos investidores, decorre pelo Estado ser economicamente, culturalmente e ecologicamente atrativo. "O Ceará é o estado mais próximo da Europa, tem sol 365 dias por ano, além das belezas naturais", ressalta o secretário.

Investimento nas cidades
O representante da GMH do Brasil, Ghassan Saab, contou ainda que a empresa fez uma parceria com o banco de Catar, que pretende investir US$1 bilhão em saneamento e infraestrutura nas três cidades escolhidas. Segundo o empresário libanês, para implantar empreendimentos de grande porte, como os três hotéis Le Royal, as cidades precisam estar preparadas, e por isso é necessário investir na infraestrutura do local.
Cascavel, Aracati e Beberibe foram escolhidas para receber o grande investimento, conta Saab, devido a proximidade do municípios do aeroporto, e principalmente, pelos locais conseguirem suportar um empreendimento de grande porte. Os três hoteis estão situados, cada um, em terreno de 150 hectares.
"O Ceará é a porta do Brasil, os hoteis irão receber turistas internacionais, que virão ao País para fazer negócios", enfatizou Ghassan Saab.
Ainda segundo Saab, para fazer o acompanhamento dos hoteis, estão sendo articuladas, em cada município, a criação de uma comissão, compostas com profissionais do poder público, que terão o papel de fiscalizar o andamento das obras.

Hotel de sete estrelas
A Secretaria de Desenvolvimento do Ceará (SDE), responsável pela mediação do investidor com o Estado, adiantou ao Diário do Nordeste, em maio passado, algumas características do segundo hotel 7 estrelas do mundo, que segundo Saab, será construido em Cascavel.
De acordo com a titular da SDE, Nicolle Barbosa, no hotel 7 estrelas do Ceará, serão construídos uma marina para iates e embarcações de pequeno porte, centro de beleza e estética, centro de esportes, centro fitness, centro de jogos, english pub, spa com piscinas, discoteca, parque aquático, sete restaurantes (comida brasileira, libanesa, chinesa, indiana, francesa, italiana e espanhola), 300 leitos, salão de eventos com 1,5 mil lugares, duas salas de conferência, oito salas de reunião, centro de negócios com estrutura de recursos de alta tecnologia e bangalô.

SDE
Nicolle Barbosa ressaltou à reportagem que a SDE não foi comunicada sobre a assinatura da carta de intenção de compra do terreno de Aracati, realizada ontem (01), e até o fechamento desta matéria, a titular da Secretaria não recebeu também nenhum comunicado oficial que definisse os três municípios divulgados que receberão os empreendimentos.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe