Rio-2016 se despede com festa recheada de Nordeste; fotos

Sob forte chuva, a cerimônia de encerramento dos Jogos Rio-2016 marcou a passagem da bandeira olímpica da Cidade Maravilhosa a Tóquio, sede da edição de 2020, em festa colorida com mistura de ritmos para marcar o fim da festa do esporte, com o apagar da chama olímpica, no estádio do Maracanã.
Foram 19 dias de competição nas primeiras Olimpíadas da história da América do Sul, 974 medalhas distribuídas e momentos de muita emoção que marcaram a história do esporte, com astros como Usain Bolt, Michael Phelps, Neymar ou Simone Biles brilhando.

O Brasil encerrou com chave de ouro a melhor campanha da sua história, com o título da seleção masculina de vôlei, a 19ª medalha do país nesses Jogos disputados em casa.
As últimas medalhas foram entregues no meio da cerimônia de encerramento, com o queniano Eliud Kipchogue, campeão olímpico da maratona, que foi muito aplaudido, depois de ser recebido em um Sambódromo praticamente vazio ao final dos 42,195 km percorridos.
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, entregou a bandeira olímpica para o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que a repassou para a governadora da Província de Tóquio, Yuriko Koike, anunciando a próxima sede olímpica.

Tóquio 2020
Seguiu-se uma apresentação com um aperitivo high-tech que deu um gostinho do que pode se esperar daqui a quatro anos, com ícones da cultura pop japonesa, os mais diversos mangás e personagens de videogame.
O mais aclamado foi Super Mario, que fez uma conexão direta entre Rio e Tóquio, através de um encanamento. Quem apareceu do outro lado do tubo foi o primeiro-ministro do país, Shinzo Abe, sorrindo e com o boné do personagem, acenando para o público. Do lado brasileiro, o presidente interino Michel Temer não compareceu à cerimônia.

Do lado brasileiro, o vídeo que antecedeu a contagem regressiva da cerimônia voltou a mostrar imagens de Santos Dumont, que já tinha sido 'protagonista' da abertura, com sua mítica aeronave 14 Bis voando pelo estádio.
O primeiro grande momento de emoção foi a interpretação de "Carinhoso", de Pixinguinha e João de Barro, por Martinho da Vila.
O hino nacional também deixou o público arrepiado, com a bandeira trazida pela lenda viva do tênis Maria Esther Bueno, dona de 19 títulos de Grand Slams.
Cantado por 27 crianças, representando os 26 Estados e o Distrito Federal, o hino ainda foi ilustrado com luzes acendendo em cima de suas cabeças, formando as estrelas em cima de uma projeção da bandeira.

O palco estava montado para receber os heróis dos Jogos, os atletas, ao som de "Tico-tico no fubá". A Grécia, que deu origem aos Jogos, entrou primeiro, seguida do Brasil, liderado pelo porta-bandeira Isaquias Queiroz, primeiro atleta do país a conquistar três medalhas olímpicas em uma única edição dos Jogos, na canoagem.
Em cima da lona que cobria o gramado, todos dançavam freneticamente ao som de ritmos tradicionais de todas as regiões do Brasil, com destaque especial para o frevo e o forró, misturados com a batida eletrônica.

Confraternização
Depois das competições acirradas, os atletas eram só sorrisos.
Após a passagem dos atletas foi a vez de uma homenagem às rendeiras, antes de uma coreografia do Grupo Corpo deu vida a "Asa Branca", o clássico de Luiz Gonzaga. Os atletas voltaram a ser os protagonistas em vídeo exibindo os melhores momentos dos Jogos. As imagens mostrando atletas brasileiros, como Rafaela Silva, Neymar ou Arthur Zanetti, foram os mais aplaudidos, assim como o superastro jamaicano Usain Bolt.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe