Temer faz corte drástico em obras para aeroportos regionais

O programa de investimentos federais em aviação regional sofreu um duro corte definido pelo governo do presidente interino, Michel Temer. Dentre os 270 aeroportos regionais que passariam por obras a partir do próximo ano ficaram apenas 53 até 2020. No Ceará, foram incluídos os aeroportos de Aracati, Juazeiro e Jijoca de Jericoacoara, dentre os remanescentes.
O ministro de Transportes, Aviação Civil e Portos, Maurício Quintella Lessa, diz ter assegurado, até o momento, somente metade dos recursos que estavam previstos inicialmente no plano lançado pela presidente Dilma Rousseff. O plano de desenvolvimento da aviação regional foi lançado no fim de 2012. Chegou-se a avaliar a possibilidade de fazer investimentos em cerca de 800 pequenos e médios aeroportos, mas esse número acabou sendo reduzido a 270. O investimento estimado na época era de R$ 7,3 bilhões, mas quase nada saiu do papel nestes quatro anos.
Para o novo ministro dos Transportes, a nova lista de aeródromos é "bem mais realista" e adequada à situação financeira do governo federal. Serão necessários R$ 2,4 bilhões para os investimentos previstos nos 53 aeroportos. Além dos 53 aeroportos, o governo terá uma lista de outras 123 unidades que poderão receber investimentos à medida que a situação econômica melhorar ou se os Estados assumirem os projetos.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe