Defesa de Dom Aldo promete recorrer de decisão que absolveu autora de denúncias

A defesa de Dom Aldo di Cillio Pagotto, arcebispo emérito da Paraíba, afirmou nesta terça-feira (13) que irá recorrer da decisão judicial que absolveu dos crimes de calúnia e difamação a autora da carta com denúncias contra o religioso. De acordo com a sentença, publicada na última segunda-feira (12), não há provas suficientes para incriminar Mariana José Araújo da Silva, que relatou em 2015 o possível envolvimento de Dom Aldo em relações homoafetivas e casos de pedofilia. 
Na decisão, o juiz Hermance Gomes Pereira, responsável pelo julgamento da ação, afirmou que não houve evidências de que a autora possuía intenção deliberada de atacar a honra ou a reputação do religioso. Ainda segundo o magistrado, as provas apresentadas pela defesa não foram suficientes para demonstrar que Mariana José divulgou a carta à mídia, conforme indicava a ação movida pelo arcebispo em julho deste ano. Dom Aldo Pagotto é acusado de manter relações sexuais com um jovem de 18 anos e acobertar padres investigados por abuso sexual de menores. 
O advogado de Dom Aldo, Sheyner Asfora, afirma que a defesa irá recorrer da decisão tão logo seja notificada. Asfora alega que há incongruências na sentença. Segundo ele, Maria José teria enviado a carta com as denúncias a um padre e este teria divulgado o material. No entanto, para a defesa, somente a entrega do material já configura o crime de difamação. "Só a entrega da carta já caracteriza. O padre que divulgou praticou um crime, mas ela também", destaca. 
Conforme Asfora, a defesa entrará com recurso nos próximos dias. "Acredito que seremos intimados sobre a sentença amanhã. Temos um prazo de até 10 dias para recorrer, mas vamos apresentar o recurso logo", acrescentou. 

Entenda o caso
Em 2015, a partir da carta escrita por Mariana José Araújo da Silva, o religioso passou a ser investigado pelo Vaticano e foi impedido de ordenar novos padres. Diante das acusações,renunciou ao cargo de arcebispo em julho do ano passado.  
Nascido em São Paulo, Dom Aldo foi ordenado bispo em 1997 e, no período de 1998 a 2004, presidiu a diocese de Sobral, no interior do Ceará. Em 2004, foi nomeado arcebispo da Paraíba.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe