"Emprego é o melhor programa social", diz ministro em discurso na Fiec

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Marcos Pereira, disse na manhã desta sexta-feira (23), na Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), que o Estado irá desburocratizar suas atividades e encerrou o seu discurso com uma crítica indireta aos programas sociais levados à frente pela gestão do PT no governo federal.
Pereira foi ovacionado por empresários e representantes de sindicatos industrias presentes no local, durante o lançamento do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) e do programa Brasil Mais Produtivo.
"Se o governo, tanto no âmbito federal - e aqui eu sei que o governador Camilo Santana também está fazendo isso no âmbito estadual - mas também no âmbito municipal não atrapalhar as senhoras e os senhores, ele já ajuda, porque quem tem que gerar emprego é o setor produtivo, e emprego é o melhor programa social", disse ele.
"Nós precisamos avançar. As nossas empresas gastam em média 2.600 horas por ano apenas para cumprir obrigações acessórias e isso tudo eleva demasiadamente o Custo Brasil. Eu quero dizer que as senhoras e os senhores (empresários) podem contar conosco. Eu tenho dito e eu estou convicto do que tenho dito", disse.

Agenda na ZPE e CSP
O ministro veio ao Ceará lançar o Programa Brasil Mais Produtivo e o Plano Nacional de Cultura Exportadora. Pela tarde, Pereira faz visitas à Zona de Processamento e Exportação (ZPE) do Ceará e à Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP).

O que são os 2 programas lançados no Ceará
PNCE - O objetivo é aumentar o número de empresas que operam no comércio exterior e incentivar o aumento das exportações de produtos e serviços do Ceará. O Ceará, apresenta grande potencial de exportação em vários setores produtivos industriais, tais como vestuário e acessórios, alimentos, produtos minerais não-metálicos, produtos de metal e móveis. Apenas nesses cinco setores há mais de 6.450 empresas em no Estado.

Brasil Mais Produtivo - O programa é uma ação focada na melhoria do processo produtivo e tem como objetivo aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas participantes. No Estado do Ceará, serão atendidos 120 empreendimentos pelo programa. A partir do critério de priorização de impacto local, foram feitos estudos técnicos que definiram dois setores: "Metal-Mecânico" e "Confecções e Calçados".

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe