Enem tem inscrição mais cara e governo bate recorde de arrecadação

A atual edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2016 tem a inscrição mais cara da história e bate recorde no valor arrecadado. Por outro lado, é previsto que os custos para os cofres públicos também subam. Será o maior desde 2009, ano que a prova passou a ser aplicada no formato que possui hoje, segundo o portal G1.
De acordo com o Ministério da Educação (MEC), as 8,732 milhões de inscrições arrecadaram R$ 136,2 milhões. Em média, descontando os gastos, o custo médio por aluno será de R$ 74,67 neste ano.
Em 2015, o então ministro Renato Janine Ribeiro afirmou que o custo médio por aluno seria de R$ 52, porém, ficou em R$ 76,59.
O MEC explica que o valor apresentado é uma estimativa, já que os custos variam de acordo com o vários fatores, como a quantidade de alunos que realizarem a prova.
“O pagamento da correção, só será realizado para o número de participantes que efetivamente realizarem a prova. Portanto, qualquer afirmação, neste momento, do gasto efetivo para o Enem 2016, não é exata”, afirmou representante do MEC.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe