Delci deve deixar o cargo no momento de crise na segurança com ataques e sem reajuste dos servidores

De malas afiveladas, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, delegado federal aposentado Delci Teixeira, está pronto para deixar o cargo. Aguarda apenas um “sim” do governador Camilo Santana (PT) para retornar definitivamente para sua terra natal, o Rio Grande do Sul. Desencantado com a política de Segurança do governo, e desprestigiado no cargo, Teixeira pode deixar o comando da SSPDS nos próximos dias, e  no momento em que a Pasta vive uma crise de credibilidade junto à população, além da falta de estrutura operacional.
A Polícia Civil atravessa uma fase de incidentes, com delegacias sendo atacadas, presos resgatados e servidores sendo alvos de violência dentro das próprias unidades policiais. O ataque ao prédio-sede da instituição, na manhã do último domingo (9), foi visto pela população como um ato desmoralizante. Dois dias depois, a mesma cena se repetiu em uma delegacia da Capital, o 3º DP (Otávio Bonfim).
A onda de fugas, resgates e até roubos de viaturas e assaltos dentro das próprias DPs levou o governo a tomar uma decisão que, há quase dois anos, vinha sendo reclamada  pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol); a retirada dos presos das delegacias.
Depois da desmoralização – com os ataques de bandidos armados na sede da Polícia Civil, além de fugas e resgates em duas delegacias – a Secretaria da Segurança Pública anunciou em pleno feriado (12) que vai esvaziar os xadrezes das 35 delegacias distritais, oito metropolitanas e das Especializadas.
Conforme declaração do delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Andrade Júnior, a intenção é de iniciar uma transferência coletiva de presos das delegacias para o Sistema Penitenciário. Uma força-tarefa será montada a partir de hoje (13) para remover os detentos. Só não disse para onde serão levados tantos presos (hoje, estimados em cerca de 800), já que os presídios e penitenciárias já estão superlotados e passando por obras de reforma após a destruição ocorrida na mega-rebelião ocorrida em maio passado.

Também vai
Outro que deverá entregar o cargo nos próximos dias é o secretário executivo da SSPDS, coronel PM Lauro Prado, que, conforme rumores, vai deixar a farda e, na Reserva,  assumir a chefia da segurança de um shopping Center a ser inaugurado no próximo dia 26, na zona Oeste de Fortaleza.  Há meses, ele vem assumindo publicamente - diante da Imprensa, principalmente -  o comando da Secretaria da segurança, já que Delci Teixeira raramente aparece em público diante do seu total desprestígio junto ao governo de Camilo Santana, além da crise de hierarquia interna (briga pelo poder) na SSPDS.
Delci Teixeira não conseguiu junto ao governo  meios para conter a insatisfação de policiais civis e militares e peritos criminais.  A falta de recursos também bate à porta na SSPDS. Os servidores não terão reajuste salarial neste ano e a nomeação dos candidatos a serem  aprovados nos recentes concursos já não é garantida pelo Governo, diante dos cofres estaduais vazios.
Reflexo disso, são as taxas de assaltos, roubos de veículos, ataques a bancos, homicídios e latrocínios, que só crescem no estado, diante do alastramento do poder das facções criminosas no Ceará, conforme a mídia nacional já denunciou em programas de grande audiência,  como o “Profissão Repórter” e o “Fantástico”, da Rede Globo.

Fernando Ribeiro
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe