Prefeituras perdem R$ 600 milhões em arrecadação com destinação irregular de resíduos industriais

As cidades brasileiras têm elevados prejuízos no descarte de lixo no País. A constatação foi feita em um levantamento que apontou perdas da ordem de R$ 600 milhões ao ano aos cofres municipais na destinação irregular de resíduos industriais no Brasil. O estudo também identificou que apenas 25% de todo material gerado no setor produtivo é tratado corretamente no País.
Segundo o estudo, o Brasil produz 33 milhões toneladas de resíduos industrias ao ano. Deste volume, 25 milhões de toneladas não são tratadas adequadamente, o que não permite a rastreabilidade. Com isso, os Municípios brasileiros deixam de arrecadar R$ 150 por tonelada.
O presidente da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), Carlos Fernandes, ressaltou que seriam necessários cerca de R$ 3,7 bilhões para tratar adequadamente o material que ainda é descartado de forma irregular. “O imposto para este tipo de serviço no Brasil é da ordem de 15% do valor total do tratamento”, afirmou.
Ele deu ainda detalhes sobre como deve ser feito o processo de coleta do lixo. “É necessário, portanto, que o País adote um sistema declaratório nas empresas geradoras, justamente para garantir rastreabilidade dos resíduos e segurança jurídica ao setor produtivo”, destacou. A pesquisa foi feita pela Consultoria Tendências e encomendado pela (Abetre).

CNM
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe