Recurso de Tomás Figueiredo ainda não chegou ao TSE

Um levantamento feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que 145 candidatos mais votados para prefeito estão com o registro indeferido e não sabem se serão empossados no dia 1º de janeiro. A definição de quem será o prefeito dessas cidades depende da Justiça Eleitoral.
Além desses municípios, em que não há possibilidade de 2º turno, outros quatro com mais de 200 mil eleitores também estão com a situação indefinida: Belford Roxo (RJ), Montes Claros (MG), Nova Iguaçu (RJ) e Taubaté (SP). Nesses casos, os indeferidos aguardam para saber se disputarão o segundo turno.
O número é maior que o registrado em 2012, quando 122 cidades ficaram com a situação indefinida após o término do 1º turno.
Os 146 candidatos que venceram, mas aparecem com os votos zerados, concorreram com seus registros de candidatura indeferidos, recorrendo, à espera de julgamento na Justiça Eleitoral. São, ao todo, 1.571.121 votos invalidados desses prefeitos.
Apenas cinco dos recursos chegaram ao TSE: de Itatinga e Quatá, em São Paulo, Aiuaba, no Ceará, Dom Pedro, no Maranhão, e Calçoene, no Amapá.
Os candidatos com registros indeferidos e que apresentaram recurso puderam realizar todos os atos de campanha. O nome e o número também constaram das urnas eletrônicas no dia de votação. Os votos, no entanto, só serão computados se a Justiça Eleitoral deferir o registro da candidatura.
São Paulo e Minas Gerais são os estados com o maior número de candidatos mais votados a prefeito com registro indeferido: 24 cada um. Em seguida aparece o Paraná, com 17 candidatos nessa situação. Bahia tem 12 e o Rio de Janeiro, 10.
Só quatro estados não têm nenhuma cidade nessa situação: Acre, Alagoas, Mato Grosso do Sul e Paraíba.


G1
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe