STF envia para Moro ação contra Cunha sobre contas na Suíça

Após perder a imunidade parlamentar com a cassação do mandato de deputado federal,Eduardo Cunha será agora réu em primeira instância em processo que investiga contas na Suíça pertencentes a ele. O caso será remetido definitivamente para o juiz federal Sérgio Moro, do Paraná.
O processo será transferido do Supremo Tribunal Federal para Moro nesta quarta-feira (5), quando a decisão, já divulgada no dia anterior pelo Diário de Justiça Eletrônico, será oficialmente publicada. O documento é o acórdão do julgamento, que traz um resumo da decisão tomada.
Esta é a primeira ação contra Cunha transferida para Sérgio Moro. A mulher dele, Cláudia Cruz, já é investigada pelo juiz da Lava-Jato em ação penal sobre o mesmo caso. O ex-deputado sempre negou as acusações, mesmo diante das evidências apresentadas.

Outra ação
No mês passado, o ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no Supremo, já havia determinado o envio de outra ação contra Cunha para o Paraná, na qual ele é acusado de ter recebido propina de contratos de exploração de Petróleo em Bênin, na África, e usar as contas na Suíça para lavagem de dinheiro.
Contudo, a transferência de competência estava condicionada à publicação da decisão do julgamento que abriu a ação penal. 
As provas sobre a existência das contas na Suíça foram coletadas pelo Ministério Público do país europeu. O processo mostrá várias contas que seriam usadas pela mulher de Cunha para comprar itens de luxo.
Depois de perder o foro privilegiado, Cunha teve uma ação que sobre o recebimento US$ 5 milhões em propina por contratos de navio-sonda da Petrobras enviada para o Tribunal Regional Federal da 2ª região. Outros processos foram enviados a juízes em Brasília e no Rio de Janeiro.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe