47% das perdas de água no CE ocorrem devido a vazamentos

Se a quantidade de água desperdiçada no Ceará por fraudes e vazamentos preocupa, com o agravamento da crise hídrica no Estado, esse cenário é motivo de um alerta ainda maior.
De acordo com os dados da Gerência de Controle de Perdas e Eficientização Energética (Gcope), órgão de estudo da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), cerca de 48,5% dessa perda é relacionada a fraudes e 47% origina-se de vazamentos na própria rede de distribuição da Cagece.
A diretora de mercado da Cagece, Cláudia Caxeira, diz que as fraudes são ameaça constante ao abastecimento de água em Fortaleza. Segunda ela, em apenas um mês, foram identificados 3.298 imóveis irregulares.
"Em uma situação regular, uma família de quatro pessoas consome, em média, 10 mil metros cúbicos por mês. Já quem frauda chega a consumir 50 mil m³/mês. É uma atitude abusiva e, infelizmente, não se restringe aos bairros da periferia ou ocupações, o comportamento está disseminado em toda a cidade".
Além disso, as equipes do projeto piloto de combate às fraudes enfrentam ameaças, principalmente nas favelas. "Temos que pedir apoio da Polícia Militar em muitos casos". Segundo ela, a Cagece tem investido no combate às fraudes e vazamentos na rede e incentivado a regularização.
"Temos oferecido condições especiais, parcelamento, redução dos juros. Cada cidadão tem que tomar para si a responsabilidade de economizar água e estar regularizado". Durante esse período de quatro semanas, 252 pessoas procuraram a Cagece e regularizaram a situação.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe