Anac proibiu embarque da Chapecoense pela empresa boliviana em solo brasileiro

Ao contrário do que desejava a delegação da Chapecoense, o embarque para a Colômbia não aconteceu de cara no voo fretado junto a empresa boliviana LaMia. Isso foi vetado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Ao invés de usar o voo fretado direto para a Medellín, na Colômbia, pela LaMia, os brasileiros pegaram um voo de carreira até Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. De lá, finalmente, pegaram o voo da LaMia. 
Isso se dá porque há acordos internacionais que quando há um fretamento de uma equipe de um determinado país para outro, a aeronave deve ser de um desses lugares. Como a Chapecoense é um time brasileiro indo para a Colômbia, o avião boliviano não poderia ser usado saindo de território nacional.
O avião boliviano que levava a delegação da Chapecoense, jornalistas e tripulantes caiu por volta de 22h15 (horário local) e 1h15 (de Brasília) perto de Medellín, em um lugar de difícil acesso. Até agora, a notícia é que há 6 sobreviventes e 75 mortos.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe