Dessalinização e reúso não estão descartados

Afora as operações de caminhões-pipa, perfuração de poços e expansão do programa de cisternas, o Nordeste deverá investir nos programas de dessalinização das águas do mar e de reúso.
Essas medidas foram debatidas, ontem, durante a abertura do Seminário de Avaliação da Seca de 2010-2016 no Semiárido Brasileiro.
O evento tem como propósito avaliar as ações empreendidas no enfrentamento da seca, que se estende pelo quinto ano consecutivo, por meio das instâncias federal e estadual, bem como trocar informações sobre políticas adotadas em países em que o fenômeno também causa preocupações e prejuízos às suas populações.
O seminário reúne representantes dos nove Estados do Nordeste, Minas Gerais e Espírito Santo, governo federal e de instituições internacionais.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe