Irmã diz que Alan Ruschel apertou a mão de seu pai e mexeu as pernas

A irmã de Alan Ruschel, um dos sobreviventes do trágico acidente de avião que vitimou boa parte da delegação da Chapecoense no início da semana, usou as redes sociais nesta sexta-feira (2) para atualizar as informações sobre o jogador. E as novidades trazidas por ela são boas. Segundo Amanda, seu irmão apertou a mão do pai, Flávio, e já movimentou as pernas.
"Meu pai disse que fala o tempo todo com ele. O Alan apertou a mão dele e mexeu as pernas! Vamos continuar com orações para todos. Para os familiares e amigos dos guerreiros que estão com Deus, pois eles precisam muito, muito mesmo", escreveu Amanda em sua página no Instagram.
As informações da irmã vão ao encontro das atualizações dadas pelo último boletim médico divulgado pela Chapecoense nesta sexta-feira à tarde. Nele, as principais novidades também são em relação a Alan Ruschel, que vai evoluindo positivamente depois de correr risco de ficar paraplégico.
"Foi submetido à cirurgia na coluna vertebral e inspira cuidados. Está com movimentos normais em membros superiores e inferiores. Apesar das múltiplas escoriações, oferece boas perspectivas de melhora. Já conversou com a família", diz o trecho referente ao jogador.
Alan foi o primeiro passageiro do avião a ser encontrado com vida. Com fratura vertebral, precisou ser submetido a cirurgia, mas tem evoluído bem. A agitação dele quando consciente, no entanto, obriga os médicos a mantê-lo sedado. "O Alan está se recuperando, só que quando começa a acordar, se agita muito, tenta arrancar os aparelhos. Então, continua sedado", explicou Amanda.
Em relação aos outros sobreviventes, o boletim divulgado pela Chapecoense oferece poucas novidades. O caso mais evoluído é o do zagueiro Neto, que, segundo os médicos, pode até voltar a jogar futebol. "Clinicamente está bem. Foi o último dos resgatados, também apresenta boas perspectivas de melhora", diz o boletim sobre o jogador.
No trecho que se refere ao goleiro Jackson Follmann, o documento é menos otimista: "É o que se encontra em estado mais grave. Teve uma das pernas amputadas. Ainda assim, seu quadro é estável. Está entubado e requer mais cuidados". Sobre o jornalista Rafael Henzel, as informações são: "Sofreu um trauma torácico e uma fratura de perna. O estado também é crítico, mas as perspectivas são otimistas. O pulmão apresentou melhoras".

Estadão Conteúdo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe