Metralhadora de guerra é apreendida na Capital

Uma metralhadora calibre Ponto 30, com poder de fogo para derrubar até mesmo aeronaves como helicópteros, foi apreendida pela Polícia Civil. O armamento foi localizado com três pessoas no bairro Passaré, em Fortaleza, no último fim de semana. 
A presença da arma usada em conflitos militares trouxe preocupação para investigador ouvido pela reportagem sobre o grau de periculosidade de criminosos em atuação no Estado. Acompanhando de perto a evolução e a ampliação das facções criminosas no Ceará como o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Comando Vermelho (CV), o policial afirmou que "além de organização, (eles) estão ganhando muito dinheiro com o tráfico de drogas e assaltos. São armamentos que nem de longe a Polícia tem acesso", disse.
De acordo com uma fonte da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a metralhadora foi descoberta depois de uma investigação da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Draco). No último fim de semana, os policiais prenderam um casal e outro homem, na casa de um deles, no bairro Passaré. Além do armamento, munição do mesmo calibre e uma quantidade de droga também foram localizadas.
Durante solenidade de posse dos novos policiais civis, o delegado Geral Andrade Júnior disse que os cearenses presos teriam ido ao Rio de Janeiro fazer treinamento para apreender a manusear o armamento. A Polícia investiga a suposta ligação do trio com facções criminosas em atuação no Ceará. A mulher presa durante a operação da Draco foi identificada como Alexsandra Matias Batista. Contra ela constam procedimentos pelos crimes de tráfico de entorpecentes, receptação, associação ao tráfico, porte ilegal de arma e associação criminosa.
A mulher já foi enviada para uma unidade prisional da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Os outros dois homens capturados também já estão em carceragens separadas.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe