Ministério Público vai pedir suspensão de provas do Enem

Após a Polícia Federal (PF) concluir, em relatório divulgado nesta quinta-feira (1º), que houve vazamento das provas do primeiro e segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, o Ministério Público Federal do Ceará (MPF-CE) vai pedir a suspensão de todas as avaliações aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro, informou o procurador da República, Oscar Costa Filho.
Em coletiva concedida nesta tarde, Costa Filho pontuou que o relatório será anexado ao recurso do MPF-CE que tramita no Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, em Recife (PE). Eles destacou que, além do pedido de suspensão da prova de redação, o Ministério Público quer que todas as provas objetivas também sejam suspensas, já que o Exame estaria comprometido por conta do vazamento.
De acordo com as informações da PF, duas pessoas tiveram acesso às provas antes do início do certame. O vazamento é considerado crime de estelionato qualificado. O novo recurso do MPF deve ser protocolado depois do julgamento da ação civil pública e pedido adicional solicitados anteriormente.

Inep contesta
Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) contestou a intenção do MPF-CE de suspender as provas. "Os casos de tentativa de fraude identificados estão sob investigação e delimitarão a responsabilidade dos envolvidos. Não há indicio de vazamento de gabarito oficial. Como é de conhecimento público, a Polícia Federal já efetuou prisões de envolvidos na tentativa de fraude e o INEP já os excluiu do Exame", destacou o Instituto.
O Inep reiterou também que tem se empenhado para colaborar com a PF para apurar os fatos, "garantindo que não haja prejuízo aos participantes do Enem 2016".

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe