Morador de Fortaleza coloca bebê à venda em site de ofertas na internet

Imagens da suposta venda de uma criança de Fortaleza na internet estão circulando desde este domingo (25) nas redes sociais. Através de um anúncio no site de vendas OLX, uma pessoa oferece um bebê de cinco meses. De acordo com o anúncio, o suposto pai alega que não tem condições de cuidar do bebê.
Em entrevista ao Tribuna do Ceará, o vereador Eulógio Neto (PSC), representante do Ceará no Fórum Colegiado Nacional de Conselheiros Tutelares (FCNCT), informou que o caso já está sendo investigado pela Polícia Civil.
“Recebemos as imagens e já denunciamos para o coordenador do Conselho Tutelar. O caso foi repassado para a Polícia. Já sabemos o nome dos responsáveis e estamos à procura”, relatou.
A publicação foi apagada pelo autor nesta segunda-feira (26). Na imagem acima, o Tribuna do Ceará borrou o telefone de contato e o nome do suposto pai. A criança residiria nas proximidades do Bairro Papicu, em Fortaleza.
Se fazendo de interessada na compra da criança, uma mulher encaminhou uma mensagem para o suposto pai e foi informada que a situação não passava de uma brincadeira de mal gosto do seu irmão.
“Falei no Whatsapp com a pessoa, e ela me informou que era uma brincadeira de mal gosto do irmão dele. Isso passa dos limites”, escreveu a internauta numa publicação de denúncia da comercialização.
Conforme Eulógio, mesmo que a ação tenha sido brincadeira, isso deve ser configurado como crime. “Nós já estamos atrás dos pais junto com a polícia. Mesmo que seja de brincadeira os culpados devem responder por crime, pois isto está previsto do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, adiantou.
De acordo com o ECA, “prometer ou efetivar a entrega de filho à terceiros, mediante a recompensa financeira,  configura em pena de reclusão de um a quatro anos de prisão e/ou multa”. A pessoa que se interessar e comprar uma criança também estará passível das mesmas punições do vendedor.
Segundo o representante do Ceará no FCNCT, o estado é o terceiro do país com maior número de pessoas que vendem os filhos. O Tribuna do Ceará entrou em contato através do número disponível, contudo até a publicação desta matéria nenhuma ligação foi atendida.

Tribuna do Ceará
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe