Nelson Jobim é apontado como alternativa a possível queda de Temer

O nome do ex-ministro da Defesa e do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim começa a circular no Congresso como uma alternativa para a presidência da República, caso Michel Temer sofra impeachment, o que começa a ser especulado, e sejam convocadas eleições indiretas. As informações são da colunista política Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.
De acordo com a publicação, características que favorecem Jobim são o bom trânsito que ele possui com o Congresso, com a cúpula do Judiciário e com militares; e a capacidade de enrijecer e combater protestos e a insatisfação do povo com a recessão econômica que o País vive.
Advogado de formação, Nelson Jobim foi deputado federal por dois mandatos consecutivos pelo PMDB, entre 1987 e 1994; ministro da Justiça em 1994; ministro do STF entre 1997 e 2006 (presidindo o tribunal nos últimos três anos); e ministro da Defesa entre 2007 e 2011. Depois, Jobim virou sócio de banco, mas não perdeu a influência na política e no judiciário brasileiro. Recentemente, ele foi consultor de réus da Operação Lava Jato.
Outro nome ventilado para substituir Temer em uma possível cassação é o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que nomeou Jobim como ministro da Justiça e do STF enquanto chefe do executivo. O impeachment duplo, ou seja, de uma chapa inteira, permite que eleições indiretas sejam convocadas para ocupar o cargo até o fim do mandato (2018).

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe