Otimista, Estado planeja novos negócios em 2017

O Ceará não passou imune ao agravamento da crise política e econômica do Brasil em 2016, tendo de enfrentar ainda o quinto ano consecutivo de seca, considerada a pior de todas. Mesmo assim, em relação à maioria das unidades federativas, que sofrem intensamente com o desequilíbrio fiscal, o Estado tem motivos para comemorar em meio a tantas dificuldades. E olha para 2017 com otimismo, visando à atração de novos negócios.
O governador Camilo Santana prefere não atribuir uma nota ao seu segundo ano de gestão, dizendo apenas que tem "trabalhado dia e noite para melhorar a qualidade de vida dos cearenses". Ele lembra que, em 2015, o Ceará registrou o maior investimento público nominal entre as 27 unidades federativas, atrás apenas dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
Frente à receita corrente líquida, o Ceará ocupou a primeira colocação em 2015. Para este ano, a expectativa é que o desempenho do Estado seja semelhante. "Nós tivemos investimentos importantes em Segurança, Saúde, Educação e Infraestrutura hídrica e urbana. Além disso, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que era um sonho antigo dos cearenses, entrou em funcionamento neste ano", diz.
As primeiras placas de aço da Companhia Siderúrgica do Pecém começaram ser produzidas no dia 20 de junho deste ano, marcando a fase de testes do empreendimento. Já no dia 18 de agosto, foi feito o carregamento do material para exportação no navio Emerald Bay, que atracou no Porto do Pecém e seguiu com 20 mil toneladas de placas de aço para Itália e Turquia.

Impacto
Quando estiver em plena operação, a Companhia Siderúrgica do Pecém prevê um impacto de 12% no Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará, e de 48% no PIB industrial do Estado.
Os reflexos positivos da siderúrgica também continuarão sendo sentidos de forma significativa no mercado de trabalho local. O empreendimento vai gerar 2.800 vagas diretas de empregos, 1.200 oportunidades para trabalhadores terceirizados e outros 12 mil postos de trabalho indiretos.

Salário dos servidores
Enquanto 21 das 27 unidades federativas já decretaram situação de emergência ou calamidade devido à crise fiscal, Camilo Santana destaca que o Estado conseguiu manter o equilíbrio de suas contas, pagando os servidores em dia. "Mesmo com a crise, conseguimos honrar todos os nossos compromissos, com pagamentos de salários e 13º em dia de 140 mil servidores, o que poucos estados têm conseguido atualmente", reforça.

Sustentabilidade
Sabendo que 2017 ainda será um ano difícil para a economia nacional, Camilo Santana afirma que o Ceará tem feito o dever de casa para continuar superando as dificuldades.
Nesse contexto, o governador cita o "Plano de Sustentabilidade Para o Desenvolvimento do Estado do Ceará". Trata-se de um pacote de medidas que foi lançado recentemente pelo governo para garantir a eficiência da administração pública e a capacidade de investimento nos próximos dez anos.
Entre as principais mudanças previstas no "Plano de Sustentabilidade Para o Desenvolvimento do Estado do Ceará", estão o aumento da alíquota modal do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 17% para 18%, o reajuste na contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14% e fusão de secretarias.
"Nossa intenção é compatibilizar a estrutura da administração estadual com o atual momento econômico brasileiro. Temos agido com muita responsabilidade. São medidas necessárias para que o setor público continue a atender bem a população e não sejamos surpreendidos pela crise no Estado", observa Camilo.

Novos negócios
Quanto às expectativas para o Estado em 2017, o governador acredita que o próximo ano deverá ser lembrado pela captação de novos negócios.
De acordo com Camilo Santana, contatos estão sendo feitos com investidores de vários países a fim de atrair empresas e aumentar a geração de empregos no Estado.

Projetos
Recentemente, diz, o governo estadual assinou um memorando de entendimento com investidores chineses para viabilizar a construção da refinaria no Ceará, que também é um antigo sonho do Estado.
"Temos feito contatos também com coreanos para instalação de uma unidade fixa de regaseificação no Pecém, apenas para citar dois exemplos. Certamente será um ano de grandes desafios, mas estamos nos preparando para enfrentá-los da melhor forma", acrescenta o governador Camilo Santana.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe