Publicidade

Chega a 9 o número de casos suspeitos da 'urina preta' no Ceará

Chega a 9 o número de casos suspeitos no Ceará, em 2017, da “mialgia aguda a esclarecer”, popularmente conhecida como doença da urina preta. Os dados são da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).
O casos foram notificados entre os dias 5 e 26 de janeiro deste ano. Conforme a Sesa, os primeiros sintomas de pacientes foram relatados em 18 de zembro de 2016 e o os últimos no dia 22 desde mês.
Até agora, 7 das pessoas diagnosticadas com os sintomas da doença no Ceará são residentes de Fortaleza e outros dois de Salvador e São Paulo. Além do principal característica – a urina de cor preta –, os acometidos supostamente pela “mialgia aguda a esclarecer” apresentaram sintomas de dores musculares intensas de aparecimento repentino, assim como início de hepatite.

Ingestão de peixes
Durante o processo de investigação etiológica, isto é, das possíveis causas da doença, a Sesa concluiu que, após análises de amostras de fezes, urina e soro pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 88,8% (8/9) relataram consumo de peixe até 24 horas antes do início dos sintomas, ou seja, 8 das 9 pessoas atingidas. Entre as pessoas que conseguiram identificar os peixes, parte relatou ter ingerido as espécies arabaina e panga.

Recomendações
Entre as medidas de prevenção à doença, a Secretaria de Saúde recomenda o reforço na higiene alimentar, armazenamento adequado de alimentos e do lixo, além da atenção quanto à validade de comida perecíveis, como o próprio peixe.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe