Febre amarela: CE bloqueia pontos de desembarque

Todos que forem viajar por qualquer motivo para áreas endêmicas devem se imunizar contra a febre amarela. A orientação é do secretário Estadual de Saúde (Sesa), Henrique Javi com base no Ministério da Saúde. Segundo ele, mesmo ainda sem perigo imediato de registrar casos da doença, o Estado desenvolve ações de proteção, iniciadas com bloqueios nos aeroportos, da Capital e do Interior, Portos do Pecém e Mucuripe, e rodoviárias.
"Já tivemos dois casos suspeitos, de cearenses que passaram as férias em Minas Gerais e chegaram com sintomas, mas foram contidas na chegada, fizeram exames e foram liberadas", diz ele, sem informar o nome do município. Javi garante que, por enquanto, descarta uma campanha de vacinação. "Até porque existem contraindicações para grávidas, crianças menores de seis meses e pessoas acima dos 60 anos de idade, que precisam de avaliação médica para isso".
A maior preocupação, aponta o gestor, é com o período atual, início da estação chuvosa, mais propícia à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika e também febre amarela. Para ele, o ideal é que a pessoa se vacina 10 dias antes de viajar.
Embora o Ceará não tenha casos da doença há, pelo menos, 17 anos, em Fortaleza, a procura pela vacina contra a febre amarela passou por um grande aumento, de acordo com a coordenadora de Imunizações da Secretaria Municipal da Saúde, Vanessa Soldatelli, motivada, principalmente, pelo período de férias e proximidade do Carnaval. "As pessoas que viajam para locais onde tenha a circulação do vírus precisam estar protegidas", diz.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe