Após derrota, Vitor Belfort fará mais uma luta e se aposentará

O semblante ao entrar na coletiva de imprensa, depois da derrota sofrida no UFC Fortaleza, realizado na noite desse sábado (11), no CFO, já era um sinal do que Vítor Belfort diria aos jornalistas. Muito ferido e abatido pelos golpes de Kelvin Gastelum , 'o fenômeno' foi direto ao assunto que tanto o perseguiu nos últimos meses. "Chegou minha hora de encerrar meu capítulo como lutador profissional. Meu corpo já não é a mesma coisa para o treinamento, é muita dor. São mais de 14 cirurgias que eu já tive. Deixei tudo no octógono, fiquei triste de não dar a vitória para meus compatriotas, mas faz parte", disse o brasileiro, que reconheceu a superioridade de Gastelum. "Eu estava muito bem, mas ele conectou uns golpes muito bons, foi a noite dele hoje. Essa galera jovem é muito talentosa e tenho que reconhecer, eles merecem".
O ex-campeão ainda descartou um desejo de revanche contra Anderson Silva, para quem perdeu em fevereiro de 2011, numa das lutas mais marcantes do UFC. "Não gostaria que fosse com brasileiro aqui no Brasil. A gente tem que sentar com o UFC e ver o que seria uma luta interessante. Nunca fui de negar luta, sempre enfrentei os melhores, mas nessa última luta gostaria que fosse especial para os fãs".
Com mais de 20 anos de carreira no MMA, onde foi campeão dos meio-pesados em 2004, Belfort revelou que deseja fazer sua última luta do contrato já no UFC Rio, que acontece no próximo dia 3 de junho, mas admite que pode continuar em ação, desde que o UFC crie uma categoria das 'lendas'.
"Já era algo decidido, só não tinha anunciado ainda. Reitero a ideia que eu dei, dessa categoria das lendas, não só a gente daria muito mais conteúdo para vocês e para os fãs, mas traria muita gente de volta..., acho que vocês poderiam presenciar algo muito gratificante. Tenho certeza, se essa liga dentro do UFC fosse criada, seria uma coisa que ia revolucionar o mercado do MMA, e vocês poderiam ver um pouquinho mais de Vitor Belfort", confirmou.

Vida que segue
Belfort também já sabe o que vai fazer quando parar de lutar profissionalmente. O atleta já está trabalhando numa franquia de academias, para ajudar a novos atletas. "Minha segunda missão é poder ajudar a humanidade. Eu gosto muito de poder ajudar os atletas. Tenho um carinho tremendo pelo esporte. Meu sonho é poder retribuir para a sociedade, que tanto me apoiou e me apoia", disse um dos ídolos da torcida brasileira no MMA.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe