Publicidade

Totens instalados em presídios vão ajudar detentos a acompanhar o próprio processo

Estão sendo iniciados os testes de um projeto-piloto da Defensoria Pública da União (DPU), em parceria com Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A ideia é instalar totens nas penitenciárias para que os presos possam acompanhar o andamento de seus processos.
Segundo o defensor-geral da União, Carlos Eduardo Paz, o projeto engloba uma série de pedidos dos detentos a seus defensores, como assuntos relacionados a saúde, atendimento e cálculo provável de pena. Os testes começam em Porto Velho, Rondônia.
De acordo com Paz, os testes começam em Rondônia por haver, naquela Capital, o maior número de presos. "Resolvemos testar o sistema com a carga máxima de atendimento", explica o defensor.

Implementação no Ceará
Carlos Eduardo Paz garante que, dependendo do nível de operação entre os softwares - cada Estado possui um tipo de linguagem -  o sistema poderá ser expandido.
A ideia é que esse projeto-piloto seja implementado nacionalmente, nas penitenciárias federais. Depois, com o melhor desenvolvimento, pode chegar às unidades estaduais.
Se der certo, o projeto pode ser uma das saídas para tentar reduzir a superlotação dos presídios.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe