Publicidade

Marqueteiro reduziu imagem de Temer por 'satanismo'

O marqueteiro João Santana disse ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que decidiu diminuir as aparições de Michel Temer (PMDB) em peças publicitárias da campanha de 2014 ao constatar prejuízo entre eleitores.
Em depoimento nesta segunda (24), ele afirmou que pesquisas internas revelavam queda das intenções de voto quando o então candidato a vice participava das propagandas.
O motivo, segundo Santana, seria que historicamente a imagem de Temer ficou relacionada com o "satanismo". Ele explicou que a alusão se dava, em sua opinião, à existência de um escritor do século 17 que escrevia sobre o tema em suas obras.
A afirmação do marqueteiro foi em resposta a uma pergunta do ministro Herman Benjamin sobre o papel do vice-presidente na campanha.
Santana afirmou que sua relação com Temer era apenas nos dias em que havia gravações de comerciais a serem feitas.
Para o publicitário, o atual presidente também foi beneficiado pelo caixa 2 da campanha.
Benjamin é o relator da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer no TSE.
O julgamento chegou a começar mas foi paralisado para que a defesa dos investigados tivessem mais tempo para manifestações e também para que novas testemunhas fossem ouvidas.
João Santana e sua mulher, Mônica Moura, prestaram depoimento em Salvador (BA). Um funcionário do casal, André Santana, também foi interrogado.
Procurada, a defesa de Temer não atendeu às ligações da reportagem.

Folhapress
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe