O que vi na XII Bienal Internacional do Livro do Ceará


Cada pessoa, um livro; O mundo, a biblioteca.

Uma frase que nos proporciona reflexão. Afinal, vivenciamos histórias que são escritas em páginas ao passo que se finda cada dia. Um livro que se reinventa a cada ano e conforme a frase, o mundo é uma biblioteca para as experiências que se apresentam aos nossos olhos.
Posso afirmar que melhor tema não havia para a XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, sentindo em poucas horas, o universo que abre em nossa mente para ampliar nosso conhecimento, fomentar nossa opinião e contribuir para mais uma página da cultura cearense.
Na quinta (20)*, acompanhei a comitiva de estudantes quiterienses que visitaram o evento. Durante a viagem, conheci novas pessoas ao tempo que pude notar o quanto são estimulados a formarem suas opiniões.
Do lado esquerdo, uma das maiores representações do cotidiano nordestino, o nosso Cordel sendo declamado e posto à disposição dos frequentadores, que maravilhados, aplaudiam e valorizavam ainda mais a nossa cultura.
Ao entrar no espaço, ficamos sem esboçar reação em meio a tanta riqueza ali existente. Centenas de milhares de títulos - lançamentos ou históricos - que convidavam a adentrar em suas páginas e em nós, moldar novas práticas.
Circulei pela maioria dos 110 estandes, adquiri 09 títulos e durante meu caminhar ali, assistia à fascinação das pessoas pelo mesmo sentimento o qual expresso acima, por poder desfrutar aqui no Ceará, não de uma qualquer feira e sim, um espaço que cria e guarda memórias por toda a vida.
Além da exposição de títulos, a Bienal também ofertou ao seu público durante os 10 dias, palestras, mesas redondas, conferências, oficinas, contações de histórias e apresentações artísticas locais e nacionais, representando uma programação democrática e de acesso gratuito para todos os gostos.
No mais, gostaria de parabenizar a todos os envolvidos neste projeto, que mais do que realizar o evento, mostram para o país que o Ceará é um berço literário, cultural e formador de cidadãos que valorizam o que é belo, em tempos que amar a cultura está cada vez mais raro.


* Agradecimento à secretária de educação de Santa Quitéria Sandra Araújo pelo ilustríssimo convite para integrar esta comitiva e ampliar nosso saber!

Thiago Rodrigues é estudante e editor-chefe do portal A Voz de Santa Quitéria.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe