Contra espiões, Temer agora usa celular criptografado e desenvolvido por Agência de Inteligência

Após ser gravado pelo empresário da JBS Joesley Batista, o presidente Michel Temer (PMDB) resolveu se precaver mais e passou a utilizar um celular criptografado no seu dia a dia. O aparelho - com sistema operacional Android - foi desenvolvido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e se tornou a nova arma contra a crise política.
As informações são da revista GQ Brasil, do grupo Globo.

Dispositivo adquirido para impedir gravações
O novo smartphone do presidente tem um sistema modificado para garantir a segurança e a privacidade de suas conversas, incluindo um sistema personalizado de proteção contra intrusos. O novo dispositivo estaria disponível também para ministros.
Na semana passada, o Gabinete de Segurança Nacional anunciou a compra de equipamentos que impedem gravações não autorizadas no gabinete do peemedebista. 

Caso similar nos EUA
O procedimento de usar um celular diferenciado e protegido é comum entre chefes de Estado, dada a importância de manter as comunicações governamentais seguras e livres de espionagem. Recentemente, Donald Trump, presidente dos EUA, tornou-se pivô de uma polêmica ao demorar para abandonar o seu antigo e bastante ultrapassado Galaxy S3. O Serviço Secreto orienta os presidentes a substituírem seus celulares logo a assumirem o cargo.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe