Dores em virtude da chikungunya levam a procura por auxílio-doença no INSS

Os principais sintomas da chikungunya podem mitigar em alguns dias, mas, em muitos casos, as dores se estendem por meses. Por isso, o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) vem recebendo diversos pedidos de auxílio-doença motivados pela doença.
Se em 2015 não houve nenhuma concessão de auxílio doença para pessoas vítimas pela doença, em 2016, o número foi de 124. Ainda não há números para 2017.
Uma delas foi a dona de casa Regimeire Gomes. Ela se diz aliviada por ter tido o auxílio-doença prorrogado por três meses. “Além das dores, a dificuldade no dia a dia, têm os filhos para sustentar”, diz.
Até 18 de abril, 6 mil casos de Chikungunya já haviam sido confirmados. Só nas últimas duas semanas, as confirmações aumentaram 81% no Estado. Quase 60% dos acometidos estão em Fortaleza.

Tribuna do Ceará
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe