Maiores açudes não recarregaram e governo entra em alerta

Atenção!
Se o Governo do Ceará e suas autoridades responsáveis pelos recursos hídricos têm um Plano B para a crise de oferta de água que castiga o Estado, então que esse plano  comece logo a ser executado.
A situação agravou-se e fez acender a luz vermelha nos gabinetes da Secretaria de Recursos Hídricos.
Os grandes açudes cearenses – Castanhão, Orós e Banabuiú – não recarregaram.
O Castanhão e o Orós estão com apenas 5% de sua capacidade; o Banabuiú secou.
Na Região Metropolitana de Fortaleza, o quadro é grave também: os açudes que a abastecem – Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião – represam, neste momento, apenas 337 milhões de metros cúbicos de água, ou seja, só 48% de sua capacidade total que é de 1 bilhão de metros cúbicos.
Esperava-se que esses açudes estivessem hoje com pelo menos 400 milhões de metros cúbicos, volume suficiente para garantir água a Fortaleza até o fim deste ano.
Diante dessa situação, o Governo do Estado vai acelerar providências para garantir água à Região Metropolitana de Fortaleza.
Para isso, o Plano B deve incluir a captação de água existentes sob as dunas do litoral cearense, entre Trairi e Cascavel.

Egídio Serpa
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe