Procissão do pau da Bandeira inicia Festa de Santo Antônio

Mais de 200 mil pessoas lotaram ontem (28) as ruas do Município de Barbalha, no Cariri cearense, na abertura oficial das festividades de Santo Antônio, padroeiro da cidade. O tradicional cortejo do Pau da Bandeira começou por volta das 11h. Cerca de 300 homens conduziram o mastro, pesando mais de duas toneladas, até a Praça da Matriz que leva o nome do padroeiro. O percurso, de quase 8Km, com saída do Sítio Flores, local onde foi selecionado um jatobá de 25m, durou cerca de seis horas.
"Capitão do Pau" há 15 anos, Rildo Teles destaca que a condução do mastro é uma demonstração de fé, persistência, força e espírito coletivo. Conforme a tradição, nos intervalos de descanso dos carregadores no percurso, as mulheres se aproximaram para pegarem no mastro que será erguido com a bandeira do Santo casamenteiro. "Além de pegarem no tronco, diz a lenda que elas também podem sentar ou até mesmo retirar suas lascas para fazer chás, óleos e lembranças. Tudo em busca de um companheiro", explica Rildo.
No entanto, apesar da fama, nem todos conseguem conhecer "a cara metade" ao longo da festa, mas isso não tira o brilho do festejo, garantem. "O Santo é casamenteiro. Dizem que a mandinga não falha, mas eu estou nessa busca há três anos", brinca a psicóloga Ana Cecília Oliveira. Apesar dos últimos insucessos, a pernambucana garante que independentemente disso, a festa permanece muito singular. "Venho desde 2015, e pretendo vir muitos outros anos, com ou sem namorado", acrescenta.

Simbolismo
O hasteamento do tronco aconteceu às 17h40. Esse ato marca o início da festa, que prossegue até o dia 13 de junho, data do padroeiro. Segundo a Secretaria de Cultura e Turismo de Barbalha, até o encerramento devem passar 600 mil pessoas pela cidade. A festa de Santo Antônio é considerada a maior do País em louvor ao Santo. Para a segurança do evento, o efetivo policial foi reforçado. Além dos seguranças contratados, serão 150 homens da Polícia Militar, além de agentes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran).

Tradição
Dois anos após ter sido reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio imaterial brasileiro, a festa tem fortalecido a tradição e buscado o resgate da originalidade presente no início dos festejos, no século XVIII, antes mesmo do surgimento da cidade. São mais dois séculos de tradição, cultura, fé e devoção, levando às ruas de Barbalha mais de 40 grupos folclóricos e cerca de 500 brincantes, que desfilam nos grupos de maneiro-pau, incelenças, penitentes, reisados, quadrilhas e bacamarteiros, entre outros. Neste ano, grandes mestres da cultura popular serão homenageados. Os palcos das apresentações musicais levarão os nomes do Capitão Zé Veloso, Carregador Careca e Mestre Tico Neves. Ele serão instalados no Marco Zero, Largo do Rosário e Praça da Estação. No dia 13, é realizada a procissão de encerramento da festa.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe