Temer antecipou queda do corte de juros da Selic a dono da JBS, diz delação

O presidente Michel Temer (PMDB) antecipou a queda da taxa de juros Selic ao empresário Joesley Batista, um dos sócios do frigorífico JBS, de acordo com um dos trechos da delação divulgação pelo jornal Folha de S.Paulo no início da tarde desta quinta-feira (18). 
Na ocasião, a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) cortaria a taxa de juros em 1 ponto porcentual e tal informação foi entregue, de forma privilegiada e antecipada, a JBS.

Selic caiu um mês depois, como prometera Temer
A conversa de Joesley com Michel Temer ocorreu no último dia 7 de março, à noite, no Palácio do Jaburu. O episódio é parte do acordo de delação premiada dos donos da JBS com a Procuradoria Geral da República.
Um pouco mais de 30 dias, no dia 12 de abril deste ano, o Copom reduziu a taxa Selic no 1 ponto porcentual prometido, ficando então a 11,25%. Foi a primeira reunião do Copom após a conversa entre Temer e o empresário. 

Compra do silêncio de Cunha e nota de Temer
Também nesse mesmo encontro, o presidente teria dado aval para que a JBS continuasse a pagar propina para garantir o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha na prisão. 
Em nota, Temer nega qualquer conduta ilícita. "O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República", disse.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe