De olho na Copa, Tite completa um ano à frente da Seleção Brasileira

Faz exatamente um ano que a Seleção Brasileira ganhou um novo rumo. Em 20 de janeiro de 2016, Tite foi oficialmente apresentado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como substituto de Dunga, demitido após o fiasco na Copa América Centenário, e não precisou nem desses 12 meses para transformar a desconfiança generalizada em otimismo.
Em 11 jogos à frente do Brasil, Tite acumulou 10 vitórias e apenas uma derrota, obteve a classificação antecipada para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, e alcançou a liderança do ranking da Fifa.
Com o técnico que colecionou títulos a serviço do Corinthians, os resultados não tardaram a aparecer. Tite estreou com uma vitória elástica sobre o Equador, por 3 a 0, em Quito, no dia 1º de setembro. No seu primeiro compromisso em casa, Tite sofreu um pouco mais. O Brasil bateu a Colômbia por 2 a 1 na Arena da Amazônia, e o treinador começou a ter o seu nome entoado pelos torcedores. Dizendo-se constrangido com os elogios, que sempre faz questão de dividir com os mais variados funcionários da CBF, ele enfileirou vitórias sobre Bolívia (5 a 0), Venezuela (2 a 0), Argentina (3 a 0) e Peru (2 a 0).
Hoje, de olho na Copa do Mundo, Tite está justamente na Rússia, para observar as equipes participantes da Copa das Confederações. O técnico que beira a unanimidade no Brasil retornará ao país europeu no seu segundo ano à frente da Seleção, em junho de 2018, quando enfrentará o maior desafio da carreira.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe