MPF denuncia Cunha e Henrique Alves por corrupção e lavagem de dinheiro

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte apresentou denúncia contra os ex-presidentes da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Com informações do jornal O Estado de S. Paulo.
De acordo com o MPF, havia entre os dois uma "verdadeira sociedade ilícita ou parceria criminosa". Os procuradores afirmam que havia estratégias organizadas pelos ex-deputados voltadas ao recebimento de dinheiro ilícito. "O repasse de propina por meio de doação eleitoral disfarçada de seu real propósito consistiu em estratégia de dissimulação da origem ilícita dos valores, provenientes de crime de corrupção"
A denúncia foi entregue nesta terça-feira (20) à Justiça Federal e defende que os dois ex-parlamentares solicitaram vantagens indevidas por meio de doações eleitorais oficiais e não oficiais. Os crimes ocorreram entre 2012 e 2014 "em razão da atuação política e parlamentar de ambos em favor dos interesses de empreiteiras".
Henrique Alves e Eduardo Cunha são acusados de receber, em parceria, R$ 11,5 milhões em propina de empreiteiras, além de R$ 4 milhões repassados a dois clubes de futebol a pedido do ex-deputado potiguar. 
Além dos parlamentares, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o executivo da Odebrecht Fernando Ayres foram denunciados por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O ex-secretário de Obras de Natal Carlos Frederico Queiroz Batista da Silva, o Fred Queiroz, e o empresário Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara foram denunciados por lavagem de dinheiro e organização criminosa.
Cunha e Alves foram alvo da Operação Manus, um desdobramento da Lava Jato deflagrado em 6 de junho deste ano. Na ocasião, foram expedidos mandados de prisão contra os ex-parlamentares. Alves foi preso em casa e atualmente está na Academia de Polícia Militar do RN, enquanto Cunha continua no Complexo Médico Penal do Paraná.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe