PEC limita autofinanciamento de campanhas; valor seria de R$ 3,5 bilhões

Entre as medidas que estão sendo estudadas pelos líderes partidários para a realização das eleições de 2018, está a criação de um limitador para que candidatos possam se autofinanciar, evitando assim que concorrentes ricos levem vantagem na disputa.
Pelo texto que está sendo tratado, as candidaturas terão como limite 70% do gasto da campanha mais cara da eleição de 2014. Se a campanha mais dispendiosa de um senador em determinado Estado custou R$ 1 milhão, por exemplo, na próxima eleição os candidatos poderão gastar até R$ 700 mil. A maior novidade virá neste ponto: o candidato só poderá custear, no máximo, 30% desse total com recursos próprios.
A ideia é evitar disparidades como a campanha de Vittorio Medioli (PHS), eleito em Betim (MG). Ele tirou do próprio bolso 99,94% dos R$ 4,4 milhões recebidos por sua campanha e foi eleito em primeiro turno, com 61,6% dos votos.

Com agências
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe