Cearenses conquistam resultado histórico na Olimpíada Internacional de Química

O Ceará mais uma vez se destacou em uma competição internacional. Quatro estudantes cearenses representaram a equipe brasileira na Olimpíada Internacional de Química de 2017, realizada em Nakon Pathom, na Tailândia e obtiveram os melhores resultados da história do país na disputa. Foram três medalhas de prata e uma de bronze.
Ligia Toscano de Melo, Ivna Ferreira Gomes e João Victor Pimentel receberam a prata, enquanto Celso de Melo foi bronze. Com o resultado eles conquistaram também o direito de representar o país na Olimpíada Iberoamericana de Química, no Peru. 
No ano passado, o Brasil havia conquistado seu melhor resultado da história, com duas medalhas de prata e duas de bronze. O novo feito superou a marca de 2016. 
Desde a primeira participação do Brasil no torneio internacional, em 1997, sempre houve estudantes de escolas cearenses representando o Brasil na competição.
Segundo o coordenador do Programa Nacional Olimpíadas de Química, Sérgio Melo, o incentivo da família e o ambiente favorável para o estudo, nas escolas locais, são duas das razões do sucesso da equipe cearense. 
"Os quatro jovens atravessaram um duríssimo processo seletivo nacional", observa Sérgio, destacando ainda o talento dos estudantes e as horas dedicadas ao estudo para alcançar o êxito. Para ele, os estudantes tornam-se, agora, multiplicadores do conhecimento, servem de exemplos de estudo para os demais colegas e ainda tornam sua própria trajetória educacional mais distinta.

Preparação
Sobre a preparação dos estudantes para o torneio, Sérgio Melo explica que o processo seletivo é composto de seis fases. A princípio, participam 340 mil estudantes de escolas públicas e privadas do ensino médio e fundamental, de todos os estados brasileiros. 
Após as seletivas estaduais, sobram cerca de 200 estudantes para a triagem de onde saem os nomes que viajam para representar o Brasil nas olimpíadas internacionais.
Na quinta fase, "com 16 estudantes concorrendo, eles participam do Curso de Aprofundamento e Excelência em Química. Neste ano, foi ministrado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Finalmente, na última fase são escolhidos os quatro estudantes que formam a equipe", detalha Sérgio Melo. 

Calendário
O Programa Nacional de Olimpíadas de Química promove, continuando a programação, com a realização da terceira fase da Olimpíada Brasileira de Química-2017 (OBQ-2017). O evento ocorrerá, em todos os estados brasileiros, no último sábado (26) de agosto.
Os quatro estudantes que se destacaram na Tailândia, vão representar o Brasil na Olimpíada Iberoamericana de Química em Lima (Peru), de 8 a 15 de outubro, com a participação de 17 países.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe