Ex-presidente peruano Humala é detido por envolvimento no caso Odebrecht

O ex-presidente peruano Ollanta Humala e sua esposa, Nadine Heredia, foram levados sob custódia depois que o juiz Richard Concepción Carhuancho ordenou a prisão dos dois, em meio a uma investigação sobre acusações de lavagem de dinheiro e conspiração ligadas à Odebrecht.
Logo depois que o juiz emitiu o pedido de prisão na noite de quinta-feira, Humala e Heredia foram levados para o tribunal sob escolta policial. Os dois não quiseram comentar imediatamente o assunto. Promotores peruanos apresentaram uma petição no início da semana pedindo detenção preventiva, argumentando que os dois poderiam sair do Peru para fugir da justiça. O juiz ordenou que eles fiquem detidos por até 18 meses, enquanto as investigações ocorrem.
O ex-presidente negou as alegações, que surgiram do depoimento de Marcelo Odebrecht, que afirmou que ele contribui ilegalmente com US$ 3 milhões para a campanha presidencial de Humala em 2011. O casal também é acusado de receber fundos não declarados do líder venezuelano Hugo Chávez durante uma tentativa presidencial anterior e mal sucedida. Humala, cujo mandato chegou ao fim em 2016, nunca declarou as supostas contribuições.

Associated Press
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe