Obras do Presídio Público de Crateús são retomadas após longo período paradas

No ano de 2006, na gestão do então governador do Ceará, Lúcio Alcântara, que Crateús foi escolhido para sediar um presídio com objetivo de solucionar problema de superlotação na cadeia que é localizada nas dependências do 7º Batalhão de Polícia Militar, sediado na cidade. Na época, o secretário estadual da Justiça e Cidadania, Evando Guedes, disse que a escolha de Crateús, para sediar o novo presídio, decorreu de um estudo técnico. “A pesquisa mostrou a necessidade e a demanda daquela região”.
De lá pra cá, alguns muros foram construídos, porém as obras foram paradas. O prefeito de Crateús, Marcelo Machado, visitou na manhã desta terça-feira (18), juntamente com sua equipe, o local onde deverão ser retomadas as obras. As obras gerarão cerca de 100 empregos durante a construção, devendo a triagem dos candidatos ser feita por intermédio do Sistema Nacional de Emprego (SINE).
O presídio de Crateús terá seis pavimentos, quatro masculinos e dois femininos, e capacidade para 153 detentos. O prazo para entrega da obra é de 11 meses, a depender da documentação e recursos. Martins explica que a construção está sendo feita dentro de padrões de qualidade a fim de dar segurança, além de ter cinco anos de garantia.

Sertões de Crateús
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe