Publicidade

Temer escolhe Sérgio Sá Leitão para ministro da Cultura

Atual diretor da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o jornalista Sérgio Sá Leitão,  49 anos, é o novo ministro da Cultura. O convite foi feito pelo presidente Michel Temer e aceito. A posse deve acontecer na próxima semana.
Com a escolha de Leitão, Temer sinaliza uma legitimação do setor cultural, ao optar por um nome técnico da área em vez de entregar a pasta aos partidos políticos que o apoiam. A vaga era alvo de dois "candidatos": a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-deputado Roberto Jefferson, e o deputado paraibano André Amaral (PMDB).
Sérgio Sá Leitão é jornalista, trabalhou no jornal Folha de S. Paulo, e foi chefe de gabinete do Ministério da Cultura na gestão de Gilberto Gil e chegou à presidência da Ancine por indicação do então ministro Roberto Freire.
Desde a decisão de extinguir o MinC (que chegou a ser transformado em Secretaria, dentro do então novo Ministério da Educação e Cultura), Temer enfrenta duras críticas do setor. O presidente voltou atrás na medida, mas sem conseguir manter um nome à frente da pasta.
A primeira baixa foi do diplomata Marcelo Calero, escolhido pelo então presidente interino. Ele deixou o cargo em novembro de 2016, após denunciar pressão do então ministro Geddel Vieira Lima sobre o Iphan para a liberação da construção de um prédio em um terreno em área nobre de Salvador.
Desde então, passaram ainda pela pasta o deputado Roberto Freire (PPS-SP) - que pediu demissão em maio deste ano, após estourado o escândalo envolvendo a Presidência da República e a empresa JBS - e o então secretário executivo do MinC, João Batista de Andrade, que assumiu a função de ministro interino com a exoneração de Freire.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe