Equipamentos de ambulâncias do Samu são furtados em Fortaleza

Os veículos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Fortaleza estão sendo alvo de furtos nos últimos seis meses. Segundo socorristas que trabalham nas ambulâncias, ao todo, já foram furtados cinco equipamentos eletrônicos dos carros em estacionamentos e até mesmo em frente ao Instituto Doutor José Frota (IJF). Os profissionais ressaltam que são pessoas da própria área que retiram desfibriladores, ventiladores mecânicos e cardioversores. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) afirma que os socorristas estão recebendo reforço nas orientações sobre segurança. 
A última ocorrência foi registrada na base do Samu Fortaleza dentro do Campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) no bairro Pici, na madrugada da última quinta-feira (10). Segundo relato de socorristas (identidades preservadas), o suspeito entrou pela janela da ambulância, desparafuzou um cardioversor e fugiu do local. "É preciso pelo menos uns 20 minutos para retirar esse equipamento do carro. São pessoas que conhecem o funcionamento de uma ambulância e já devem ter compradores", declara um profissional da saúde.  
Um outro furto foi registrado em frente ao IJF, no Centro da Capital cearense.  A equipe de socorristas chegou na unidade hospitalar com um paciente. Enquanto estavam dando entrada no Hospital, uma pessoa entrou na ambulância e levou um desfibrilador externo automático. Uma reclamação dos profissionais é que um modelo de ambulância utilizado possui um problema para fechar as portas traseiras, o que facilita o acesso.  
Numa empresa de Fortaleza que fornece equipamentos eletrônicos para hospitais públicos e privados, um cardioversor pode ter um custo de R$13 mil a 45 mil. O desfibrilador externo automático tem variação de R$6 mil a R$10 mil. Já o ventilador mecânico tem custo de até R$ 8 mil. Vale destacar que os equipamentos furtados servem para reanimar pacientes que estão em parada cardíaca.  

Polícia Civil já foi informada 
Sobre o crime relatado dentro da base do Samu na UFC, o superintendente de Infraestrutura e Gestão Ambiental da Universidade, o professor Ademar Gondi, afirma que a segurança no Campus do Pici é realizada através de controle de acesso nos portões, serviço de portaria nos blocos, vigilantes em pontos estratégicos e rondas com viaturas e motos. 
"As câmeras de monitoramento estão no interior dos blocos e em alguns acessos. A Polícia Federal desenvolve permanentemente trabalho de investigação nas ocorrências no Campus. Neste caso específico, a Polícia Civil foi informada", ressalta o gestor. 

Samu reforça orientações de segurança
Por meio de nota, a SMS explicou que, após o furto do equipamento do Samu na UFC, foi registrado um boletim de ocorrência (BO) para abertura de inquérito por parte da polícia civil, além de ter sido instaurado processo administrativo para apuração interna dos fatos. 
 "A gerência do SAMU reforçou as orientações de segurança com os profissionais com o objetivo de prevenir ações dessa natureza", diz a Ppasta de saúde no comunicado. Atualmente, a Capital cearense tem uma frota de 20 veículos de urgência prestando socorro em toda a Cidade, sendo cinco ambulâncias de suporte avançado, 12 de suporte básico, além de mais três motolâncias. 
A reportagem solicitou o número oficial de equipamentos roubados e o número profissionais demitidos nos anos de 2015 e 2016, mas o órgão não informou. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) também foi procurada, mas não houve retorno da Pasta até a publicação da matéria.

João Lima Neto
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe