No Ceará, um entre cada cinco litros de água foi desperdiçado no primeiro semestre

As medidas de contingência para reduzir o consumo e as perdas hídricas no Estado estão diminuindo os índices de água não faturada. Este indicador está relacionado a ligações clandestinas, vazamentos e hidrantes defeituosos, entre outros problemas. Conforme levantamento da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), no primeiro semestre de 2017, houve o registro de perdas em 22,29%. No mesmo período do ano passado esse índice chegou a 24,21%. O que aponta uma queda de 1,92% ponto percentual na comparação dos dois semestres. 
Segundo a Cagece, mais da metade das perdas de água no sistema de abastecimento do Ceará estão relacionadas a fraudes na rede. Como forma de combater o problema, a companhia informou que intensificou o trabalho de fiscalização, ampliando o número de equipes de campo que atuam diariamente na identificação e retirada de fraudes e vazamentos nas redes de água. Ao todo, a operação completa já resultou em uma recuperação de 279 litros por segundo. 
Em relação ao combate às fraudes, as equipes já vistoriaram 229.416 imóveis em Fortaleza e Região Metropolitana. Até julho deste ano já foram identificadas 18.859 fraudes. Desse total, 13.273 clientes se regularizaram junto à companhia. A reportagem solicitou os dados do primeiro semestre do ano passado, mas até a publicação desta notícia o órgão não tinha enviado. 

Penalidade 
Além de ser considerada crime de furto, sob pena de reclusão, a fraude pode comprometer o abastecimento e a qualidade da água de uma área inteira, provocando vazamentos, perda de pressão na rede e desabastecimentos. 
A companhia também conta com apoio da população para denunciar fraudes de água por meio dos diversos canais de comunicação disponíveis como o aplicativo Cagece Mobile para smartphones, a Central de Atendimento Telefônico (0800.275.0195), o Chat Online disponível no portal da companhia ou mesmo pelas redes sociais da Cagece.


Plano 
Para manter o abastecimento de água à população de Fortaleza e RMF até a quadra chuvosa de 2017, o Governo do Estado planejou uma série de ações, em parceria com diversos órgãos, que têm como objetivo reduzir em 20% o consumo de água, com investimentos previstos em R$ 72,1 milhões.  

Entre as medidas estão:
- Reforço no combate às perdas de água (fraudes e vazamentos);  
- Perfuração de novos poços e manutenção dos já existentes em áreas críticas de abastecimento e em equipamentos públicos (saúde, educação e segurança);  
- Perfuração de poços no Pecém; Aproveitamento do sistema hídrico do Cauípe;  
- Aproveitamento do açude Maranguapinho;  
- Reuso das águas de lavagem dos filtros da Estação de Tratamento de Água do Gavião;  
- Captação pressurizada de água no açude Gavião; Reforço no abastecimento de Aquiraz com implantação de adutora de água tratada; Revisão da meta da Tarifa de Contingência (aumento da meta de economia de água pela população de 10% para 20%);  
- Redução da oferta de água em 20% para indústrias da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF); Plano de Comunicação.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe