Após arrastarem cadáver na lama, funcionários do IML são demitidos

Dois funcionários do Instituto Médico Legal (IML) de Maceió foram demitidos após serem flagrados arrastando na lama o corpo de um homem morto pela polícia. O caso aconteceu em uma região rural de Branquinha, que fica a 62 km de Maceió, na última quinta-feira, 21. Os funcionários demitidos não foram identificados com a justificativa de preservar os nomes. As informações são do Uol.
O corpo arrastado era de um homem acusado de matar um fazendeiro da região.  Antes de colocar o corpo no rabecão, um dos funcionários ainda joga lama no rosto do cadáver, momento em que o vídeo é encerrado.
Fora os dois funcionários, uma terceira pessoa aparece no vídeo rindo da ação. Em tom irônico, o indivíduo diz que "o banho" é bom "para relaxar um pouquinho". Em outro momento, ele diz "olha o que dá aí matar pai de família", completa. Esse não seria funcionário do IML.
Em nota enviada ao Uol, a Perícia Oficial do Estado de Alagoas (Poal) comunicou que não concorda com a conduta adotada pelos funcionários da empresa prestadora de serviço dos Institutos. Além de demiti-los, a empresa terceirizada também se comprometeu com o Estado a capacitar as equipes que atuam no IML.
A Perícia afirmou que notificou a empresa sobre a atitude dos funcionários. Foram, ainda, cobradas medidas administrativas em relação ao fato, informando que não serão admitidas situações como esta pela direção da Poal.

O POVO Online
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe