Publicidade

Após erro, Brasileirão deve ter árbitro de vídeo já na próxima rodada

O Campeonato Brasileiro deve ter o uso do árbitro de vídeo já na rodada do próximo final de semana. Nesta segunda-feira, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, solicitou à Comissão de Arbitragem o uso "o quanto antes" do recurso. A medida é uma tentativa de resposta aos "graves erros" de arbitragem nas últimas rodadas, sobretudo o gol de mão do atacante Jô, que garantiu a vitória do Corinthians sobre o Vasco, no domingo.
Segundo o jornal Estado apurou, o recurso de vídeo só não será implantando na próxima rodada se houver algum empecilho de ordem técnica. Por determinação da Fifa, as imagens que serão utilizadas pelos árbitros serão as mesmas geradas pelos detentores dos direitos de transmissão. Assim, o replay mostrado pela TV será o mesmo usado pelo juiz da cabine. Todas as partidas da rodada terão uso do recurso.
A intenção da CBF era implantar o sistema para testes nas últimas rodadas do Brasileirão, para que fosse incluído no regulamento do campeonato do próximo ano. Mas a péssima repercussão do gol de Jô sobre o Vasco, além de outros lances que foram motivo de discórdia nas últimas rodadas, está fazendo a CBF antecipar o uso do equipamento.
Em junho, a entidade havia sugerido que o árbitro de vídeo ficaria apenas para 2018 pelo temor de ações nos tribunais, justamente pelo fato de o recurso não estar previsto no regulamento do Brasileirão deste ano e, mais do que isso, não ter sido usado para rever erros desde o início do campeonato.

Curiosidade
Curiosamente, um dos primeiros defensores do sistema ainda este ano foi justamente o atacante Jô. Na oitava rodada, ele teve um gol mal anulado no empate sem gols com o Coritiba, fora de casa. Na ocasião, o atacante corintiano eximiu o trio de arbitragem pelo erro, mas questionou a ausência do uso do monitor.
"Se pode ser usado o vídeo no futebol, por que não usar? Em alguns jogos usam, em outros não", comentou à época. "Não poderiam escolher jogos ou lances, deveria ser utilizado sempre e todo time deveria ter o direito de usar. Se tem isso, é para melhorar o futebol e tudo que tem esse objetivo eu apoio", sustentou.

Estadão Conteúdo
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe