Conclusão das investigações do caso de bebê em UPA deve sair em até 20 dias, diz diretor

A sindicância instaurada pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) para investigar o caso do bebê Kaleb Rodrigues Martins, que ficou em estado grave após receber dosagem de medicamento acima do indicado, deve durar até 20 dias. A informação foi divulgada pelo diretor de Processos Assistenciais em exercício das UPAs de Fortaleza, Tarcylio Esdras. “A gente vai entrevistar os envolvidos e tentar entender o que aconteceu. Só então poderemos tomar as medidas devidas”, explicou.
Representantes da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro José Walter convidaram a família do bebê Kaleb Rodrigues Martins para uma reunião, nesta segunda-feira (4), que contou com a presença de um assistente social. “Eles só falaram que não podem acusar ninguém, que vão fazer uma sindicância pra resolver quem é o culpado”, declarou Evilene Rodrigues, mãe de Kaleb.
O bebê de 1 mês e meio está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) e, apesar de responder a estímulos, está em estado grave. “Segundo os médicos, ele vai sair com sequela”, disse a tia de Kaleb, Célia Rodrigues. A mãe da criança diz que, no momento, não pensa em dar entrada em processos judiciais, mas afirma querer esclarecimentos. 

O caso
Na última sexta-feira (1º), o bebê foi levado ao Hospital Distrital Gonzaga Mota, no bairro José Walter, com dificuldades respiratórias. Lá, a mãe de Kaleb foi orientada a levá-lo para fazer um raio-x para identificar o problema. Como a máquina disponível na unidade estava quebrada, Evilene e seu filho foram encaminhados à UPA do mesmo bairro, e foram atendidos na Unidade na manhã de sábado (2).
Na UPA, familiares informaram que uma enfermeira teria injetado epinefrina na veia do bebê, embora o médico tenha orientado que a aplicação do medicamento por via respiratória.  Logo após receber a medicação, Kaleb teve uma parada cardiorrespiratória. A criança foi levada, então, para o Hospital Infantil Albert Sabin, onde permanece até o momento.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe