Detentos de facções são transferidos do Interior

Doze presos que eram custodiados na Cadeia Pública de Icó, e integravam as facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Guardiões do Estado (GDE), precisaram ser transferidos para o Centro de Triagem e Observação Criminológica (CTOC), em Caucaia, em uma operação realizada na última quarta-feira (6). O diretor da Cadeia Pública, Maycon de Albuquerque Martins, afirmou que solicitou a transferência dos detentos após receber uma informação da Polícia Civil de que o CV estava planejando o resgate do interno Francisco Vieira Pastor, o ´Cabeludo´, que é um dos líderes da organização criminosa na região do Icó.
´Cabeludo´ e mais dois integrantes do CV, identificados como Wesley Calixto Saldanha e Welken Cristen Diógenes Pinheiro, estão entre os presos transferidos. Os outros nove detentos recambiados são membros da GDE. São eles Mardônio de Melo Dantas, Sávio Pereira Soares, Francinildo Fenelon de Menezes, Rafael Leite Pereira, Danilo Pereira de Oliveira, José Leandro Gonçalves, Luciano de Oliveira Lima, Fabrício Barros Victor e José Luciano Alves Bezerra.
Outro motivo para a transferência foi a "falta de convivência" entre os integrantes das duas facções, segundo Maycon Martins. Conforme o diretor, a Cadeia de Icó tem capacidade para 43 presos, mas haviam 90 detentos antes da transferência, dos quais 25 pertenciam ao CV e apenas nove à GDE (todos retirados da unidade). O restante não é filiada a nenhuma facção, pertencem ao que se convencionou chamar de ´massa carcerária´.
Conforme Martins, apesar de os grupos estarem divididos em celas diferentes, existia um risco dos integrantes do CV agredirem e matarem os membros da GDE, inclusive durante a tentativa de resgate de ´Cabeludo´ que já estava sendo planejada. "A transferência se deu também para resguardar a integridade física dos presos", afirmou o diretor da Cadeia Pública.
Os 12 detentos foram conduzidos em dois veículos, durante uma operação realizada por agentes penitenciários e policiais civis da Delegacia Regional de Icó, até o Centro de Triagem e Observação Criminológica, em Caucaia. Depois devem ser recambiados para outras unidades do Sistema Penitenciário.
A Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) informou, através da assessoria de comunicação, que não pode passar informações sobre transferências de presos, por motivos de segurança.

Superlotação
O excedente populacional da Cadeia Pública de Icó, de 109,3%, ainda é menor que a média do excedente das Cadeias Públicas masculinas do Ceará, que é de 130,1%. Conforme dados da Sejus, 8.084 homens estavam presos em Cadeias Públicas do Estado, no fim do último mês de agosto, enquanto a capacidade total das unidades é de 3.398 vagas, o que representa um excedente de 4.686 pessoas.
Toda a população carcerária do Ceará cresceu 0,5%, em agosto, em relação a julho deste ano, passando de 26.281 pessoas para 26.395, somando os presos do regimes fechado, semiaberto e aberto e provisórios. Somente os presos do regime fechado e os provisórios são 19.353, enquanto a capacidade de vagas do Sistema Penitenciário cearense é de 12.383 internos, o que representa um excedente de 56,28%.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe