Esquema de lavagem de dinheiro e sonegação de impostos no CE causou prejuízo de R$ 300 milhões

A Polícia Civil deflagrou, nesta sexta-feira (1º), a Operação Dissimulare, em combate a crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa que eram cometidos no Ceará.
O trabalho ofensivo desestruturou um esquema de compra de mercadoria têxtil com sonegação de impostos, que chegou a refletir em um prejuízo de mais de R$ 300 milhões aos cofres públicos. Ao todo, 13 mandados de prisão e 37 de busca e apreensão foram cumpridos e cerca de R$ 2 milhões, já contabilizados, foram apreendidos. A ofensiva foi organizada pelo Departamento de Polícia Especializada, com o apoio da Secretaria da Fazenda (Sefaz), e contou com a atuação de 160 policiais civis. 
As investigações iniciaram há pouco mais de um ano e tinham como foco as ações ilícitas de pessoas que compravam produtos do ramo têxtil sem o pagamento dos devidos impostos. De acordo com os levantamentos policiais, estima-se que os suspeitos realizaram uma movimentação financeira que ultrapassa a cifra de R$ 1 bilhão sem o recolhimento de impostos.
“O trabalho policial buscou apurar a atuação de uma organização criminosa que se instalou no Ceará com a finalidade de sonegar impostos na aquisição de insumos da indústria têxtil”, explica o delegado Márcio Gutierrez, titular da Delegacia dos Crimes Contra a Administração e Finanças Públicas (DCCAFP).

Sobre o esquema
Os levantamentos apontaram que os investigados se utilizavam de empresas de fachadas constituídas por sócios "laranjas", criadas para adquirir os produtos em outros estados e, em seguida, repassá-los a empresas ligadas ao esquema.
A lista de presos inclui empresários, auditores da Secretaria da Fazenda (Sefaz) e contadores, entre outros. Alguns deles já possuem passagem pela Polícia. Os 13 mandados de prisão foram cumpridos contra Marcus Venícius Rocha Silva (54), Francisco de Assis Neto (50), Maria Soraia de Almeida (27), Suzi Cardoso Lima (34), Daniel Rocha de Sousa (43), Bruno Rafael Pereira Carvalho (34). José Orlando Rodrigues de Sena (49), Mines Coutinho Carvalho (59), Natalia de Souza Costa (28), Thamara Almada do Nascimento (26), Antônio Batista da Silva (45), Paulo Sérgio Coutinho de Almada (SO) e Antônio Alves Brasil (52).
Já os 37 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em empresas, residências, no prédio do Sindicato de Confecções do Ceará e em outros locais. Os imóveis estão situados em bairros como Centro, Aldeota e Meireles.
Nos locais alvos da operação, os agentes de segurança apreenderam diversas mercadorias como veículos, joias, cerca de R$ 2 milhões, além de outros valores que estão sendo contabilizados, tecidos avaliados em mais de R$ 100 milhões e aparelhos eletrônicos, entre outros produtos.
A Polícia Civil também representou pela indisponibilidade dos bens e bloqueio de contas bancárias dos investigados. Ainda de acordo com o delegado que está à frente das apurações, Márcio Gutierrez, os trabalhos policiais continuam e outras raízes da Dissimulare serão deflagradas. A operação segue em andamento.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe