iPhone X chega por US$ 999 com reconhecimento facial e traseira de vidro

Ao som de All We Need Is Love dos Beatles, a transmissão do evento especial da Apple desta terça-feira (12) começou pontualmente às 14h no Steve Jobs Theater, no Apple Park, em Cupertino, com um texto lido por Steve, foi o criador da Maçã que abriu o evento. Em seguida, o presidente da empresa, Tim Cook, fez uma homenagem ao amigo e após apresentar o novo Apple Watch Series 3 e a nova Apple TV 4K, Tim chamou Phil Schiller, vice-presidente de marketing da Apple, para falar sobre lançamentos mais aguardados do evento: os novos iPhones.
O iPhone X (leia iPhone Dez) chega aposentando o botão home, um marco do primeiro iPhone, lançado em 2007. Para substituir o Touch ID, sistema de segurança biométrico lançando com o iPhone 5s em 2013, a empresa lançou o Face ID, um sistema de reconhecimento facial que servirá tanto para destravar o smartphone, como autorizar compras com o Apple Pay. Após cadastrar o seu rosto, o usuário deve apenas olhar para o aparelho, que reconhece o dono e faz o desbloqueio. Para fazer o sistema funcionar, a Apple criou o True Depth Camera System, um agrupamento de novos dispositivos na parte superior do aparelho: câmera infravermelha, "inundador" de luz, sensor de proximidade, sensor de luz ambiente e um projetor de pontos.
Apesar de funcionar em menos de um segundo, o sistema usa o inundador para iluminar o rosto do usuário com uma luz que apenas a câmera infravermelho pode ver. Depois disso, o projetor de pontos cria um mapa do rosto do usuário que gera um modelo matemático do seu rosto, que é comparado com o que o celular tem guardado. Para que o Face ID faça funcione, o smartphone requer atenção do dono, ou seja, caso o usuário estiver com o celular de frente pro rosto, mas olhando para outro canto, a tecnologia não vai efetuar o desbloqueio. 
Segundo a empresa, a chance de alguém desbloquear um celular com uma digital que não está gravada é de uma em 50 mil. Com a nova tecnologia, essa chance se reduz para uma em um milhão. Entretanto a rede neural criada pela Apple, armazenada no novo chip A11 Bionic, consegue reconhecer o usuário mesmo que ele mude. A inteligêcia artificial de reconhecimento foi programada para ignorar bonés e óculos e também mudanças físicas como barba ou corte ou cor dos cabelos. A máquna neural também "aprendeu" a não ser enganado fotografias e máscaras para efetuar o desbloqueio. A novidade também vai permitir a criação de animojis, emojis animados personalizados que conseguem reproduzir movimentos de 50 músculos do rosto.
Batizada de Super Retina Display, a nova tela tem 5.8 polegadas na diagonal, ocupando quase que a totalidade da frente do modelo. A primeira tela de iPhone em OLED vem com 2436x1125 pixels, sendo 458 pixels por polegada. O vidro é o mesmo usado pelos colegas de lançamento, iPhone 8/8 Plus, e o aparelho é resistente à água e poeira. A tela também vem com a mesma tecnologia da nova Apple TV, Dolby Vision, e traz o True Tone do iPad Pro, tecnologia onde a tela se ajusta à luz ambiente. Para completar o corpo do aparelho, a maça usou aço inoxidável de grau cirúrgico.
Sem botão home, para "acordar" o iPhone X basta um toque na tela. Para desbloquear (sem código), basta deslizar o dedo de baixo pra cima, que é também o mesmo gesto para voltar para a tela inicial. A multitarefa também pode ser acessada da mesma forma, bastando apenas arrastar da base pra cima e esperar os aplicativos abertos aparecerem. O novo botão lateral vai servir para os pagamentos com o Apple Pay e para invocar a Siri, que também pode ser chamada pelo já conhecido comando de voz "E aí Siri". Disponível em duas cores, cinza espacial e prata, e com capacidades de 64GB e 256GB, a pré-venda do modelo começa 27 de outubro e estará disponível em 3 de novembro a partir de US$ 999.

iPhone 8/8 Plus
A nova dupla traz alumas novidades em relação aos modelos anteriores. Com 148g e 202g, respectivamente, os iPhones 8 e 8 Plus trazem novos corpos feitos com vidro reforçado por aço e uma tira de alumínio em volta do aparelho, bem similares aos iPhones 4 e 4s. Assim como o iPhone X, a dupla vem selada microscopicamente contra água e poeira e as novas câmeras com 12MP permitem gravar vídeos em 4K com 60 quadros por segundo e vídeos em FullHD com 240qps. A câmera grande angular dos três novos aparelhos também teve um upgrade e conta agora com uma abertura de ƒ/1.8, em comparação aos ƒ/2.4 do iPhone 7. Já a teleobjetiva do 8 Plus (que é a mesma usada no X) também melhorou, indo de ƒ/2.8 para ƒ/2.4.
Com um novo giroscópio e um novo acelerômetro, os três aparelhos contam com melhorias no sistema de realidade aumentada e o novo vidro na traseira vai permitir o uso da tecnologia de carregamento sem fio, já presente em alguns smartphones no mercado. As novas versões da dupla 8/8Plus estarão disponíveis em três cores já conhecidas, prata e cinza espacial e dourado, a partir de 22 de setembro com as versões de 64GB do iPhone 8 custando US$ 699. O irmão maior, 8 Plus, tem preço de entrada de US$ 799. Por US$ 150 a mais, o usuário leva 256GB de armazenamento.

Redação Web
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe