Pequenos açudes estão sendo repovoados no Ceará

Pequenos e médios açudes no Interior do Ceará recebem, até o fim deste ano, cerca de dois milhões de alevinos da espécie tilápia. A meta é de um programa de peixamento em curso por meio da Secretaria da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa) do governo do Estado. Técnicos da pasta asseguram que a atual crise hídrica não afetará o crescimento do pescado.
Em Orós, foram distribuídos 70 mil alevinos. Barragens de Saboeiro receberam 35 mil e Catarina, 15 mil. O repovoamento dos açudes públicos e comunitários chega a 26 municípios. "O Peixamento visa à distribuição gratuita de peixes destinados ao repovoamento de reservatórios públicos", destaca o secretário Euvaldo Bringel.
Fonte de proteína e renda para os pescadores artesanais,é fundamental a manutenção do programa. "Prefeituras, associações, sindicatos e colônias de pescadores podem fazer o pedido de alevinos", reforça.
Arnóbio Dourado, engenheiro de pesca e técnico da Seapa, esclareceu que, apesar da falta de chuvas no Estado, queda das reservas hídricas na maioria dos grandes e médios açudes, em algumas regiões ocorreram chuvas localizadas, que possibilitaram uma reposição nos estoques pesqueiros desses mananciais, pelo ganho no volume de água. "Não precisa o açude estar cheio, basta ter um nível regular e aceitável de água", disse.
Os técnicos estimam que a reserva hídrica dure pelo menos cinco meses. "Esse é o prazo que os alevinos estarão com tamanho considerável, servindo como alimento às comunidades da região, mas, caso o açude seque antes, os peixes podem ser consumidos", observou Dourado.
Os municípios atendidos possuem reservatórios de pequeno porte, que receberam aporte. Os técnicos avaliam a partir da solicitação, as condições de água, natureza do reservatório, tamanho, o risco de pesca predatória e a existência de espécies de peixes predadores. A Seapa já distribuiu 1,4 milhão de alevinos de tilápia em 708 açudes.

Diário do Nordeste
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe