Prefeito de Pacajus é afastado por contratar mais de R$ 2,1 milhões sem licitação

O prefeito de Pacajus,  Flanky Chaves (PP), acaba de ser afastado do cargo por decisão liminar da juíza Ricci Lobo de Figueiredo Filgueira, da 1ª Vara da Comarca do município, por improbidade pelo prazo de 180 dias. O gestor é acusado de usar o Decreto de Estado de Emergência no município, assinado por Flanky, para realizar pelo menos nove contratações irregulares. A decisão atende a pedido do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE).
Além do afastamento, foi decretado ainda o bloqueio de bens, ativos financeiros e a quebras dos sigilos bancário e fiscal de Flanky Chaves e de mais 15 pessoas envolvidas no processo. A Justiça também determinou que o Município de Pacajus se abstenha de contratar, pelo prazo de 180 dias, as empresas e demais pessoas físicas apontadas na ação.
A decisão é embasada na investigação conduzida pelo promotor de Justiça Iuri Rocha Leitão, que apurou indícios de que Flanky Chaves e seu pai, Zé Wilson Chaves, além de associados, servidores públicos e empresário, coordenam um esquema permanente que chegou a desviar mais de R$ 2,1 milhões dos cofres públicos de Pacajus.

Contratações sem licitação
As contratações que levaram ao afastamento de Flanky Chaves se deram entre 5 de janeiro  – apenas 5 dias de mandato – e 8 de março e em áreas diversas: coleta de lixo, manutenção de veículos, contabilidade, material hospitalar, combustível material de limpeza e aquisição de gêneros alimentícios. No total, os contratos sem licitação representaram o gasto superior a R$ 2,3 milhões aos cofres de Pacajus.

Ceará News 7
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe