Ceará ultrapassa médias do Nordeste e do Brasil em Leitura, Escrita e Matemática

O Ceará superou a média brasileira em Leitura, Escrita e Matemática das crianças que estavam matriculadas no 3º ano do ensino fundamental da rede pública. Além disso, o Estado obteve os melhores resultados do Nordeste. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta quarta-feira (25), com base nos resultados finais da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) 2016.
Na escala de Escrita, o Ceará tem 70,7% das crianças no nível suficiente. Em 2014, esse número era de 61%. No Nordeste, o Estado ocupa o primeiro lugar. Em segundo, está o Rio Grande do Norte (59,16%) e, em terceiro, Pernambuco (48,19%). Conforme a avaliação realizada em 2016, a Região ficou com 49,1% e o Brasil, 66,15%. Em relação às competências de Leitura, por exemplo, 54,76% dos alunos cearenses estão em condições consideradas adequadas. O Nordeste alcançou 30,85% e o Brasil 45,27%.
O governador Camilo Santana e o secretário da Educação, Idilvan Alencar, acompanharam a divulgação, em Brasília. “O Ceará está acima da média brasileira. Isso é resultado do esforço de municípios, diretores, professores e alunos; de uma pactuação que foi construída no Ceará e que está trazendo resultados importantes”, comemorou o governador. E continuou: “É um orgulho para nós, cearenses, mas é claro que vamos avançar cada vez mais”.



Matemática e Escrita
Em Matemática, o Ceará apresenta um percentual de 51,72% de crianças em uma situação adequada. Em 2014, o percentual era de 49%. Neste mesmo nível, em 2016, o Nordeste está com 30,54%, enquanto o Brasil com 45,53%. O Ceará é o primeiro estado nordestino no Nível 4 de Matemática, com 31,28%. Em segundo lugar está Pernambuco (16,7%), seguido do Piauí (13,34%).
O governador Camilo Santana e o secretário da Educação Idilvan Alencar participaram da divulgação dos dados, nesta quarta-feira (25), em Brasília, pelo Ministério da Educação

Critérios de avaliação
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) organiza os resultados em uma escala que vai de 1 a 4 em Leitura e Matemática e até 5 em Escrita. Trata-se de uma avaliação censitária.
De acordo com a ANA, na região Nordeste, o Estado é o que o apresenta o maior percentual no nível 4 em Leitura (19,25%), à frente do Rio Grande do Norte (6,98%) e Piauí (6,6%). O Ceará é o terceiro lugar do Brasil neste nível. Em primeiro lugar, está Minas Gerais (23,29%) e, em segundo, Santa Catarina (19,35%). O Nordeste alcançou 7,25% e o Brasil 12,99%.
O titular da Seduc destacou o desempenho alcançado. “O Ceará está fazendo bonito no resultado da ANA 2016, com crescimento nos indicadores de Leitura, Escrita e Matemática. Estamos acima da média do Brasil e do Nordeste nestas três competências. E isso é resultado do esforço, também, de prefeitos e secretários municipais, além de equipes da Seduc e das Credes”, avaliou o secretário.
A análise demonstra que as crianças cearenses avaliadas conseguem ler palavras complexas e localizar informações explícitas em textos curtos; reconhecer a finalidade de texto como convite, cartaz, receita, entre outros. Ou seja, os alunos tinham desenvolvido uma estrutura de leitura mais complexa.



Mais Paic
Uma das ações que influenciaram diretamente nos resultados de alfabetização das crianças cearenses foi o Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic). Em 2007, o Programa começou suas atividades com a meta de garantir a alfabetização dos alunos matriculados no 2º ano do Ensino Fundamental da rede pública cearense. Em 2011, para expandir as mesmas ações ao 3º, 4º e 5º anos, foi lançado o Programa Aprendizagem na Idade Certa (Paic +5). Em 2015, as ações chegam ao ensino fundamental II (6º, 7º, 8º e 9º anos), a partir do lançamento do Mais Paic – Programa de Aprendizagem na Idade Certa, pelo governador Camilo Santana.
Conforme dados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece) 2016, 87% dos estudantes encontram-se alfabetizados ao término do 2º ano. Em 2007, esse percentual era de apenas 39,9%. Nesse mesmo período, é possível verificar que houve uma redução de percentual de alunos não alfabetizados ao final do 2º ano. Caiu de 32,8% para 0,7%.
Em 2016, a aprendizagem dos alunos do 5º ano, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, melhorou em relação ao ano de 2008. Em Língua Portuguesa, o percentual de alunos no nível adequado subiu para 39,9%, enquanto, em 2008, o nível era de 6,8%. Em Matemática, era de 3,6% e passou para 30,2%.
Outra conquista importante é o número de municípios cearenses no Padrão Desejável em alfabetização das crianças ao final do 2º ano do Ensino Fundamental. No início do programa, apenas 14 municípios estavam no padrão Desejável em alfabetização das crianças ao final do 2º ano do Ensino Fundamental. Em 2016, esse número subiu para 180.
Quanto aos resultados do 5º ano, em 2008, nenhum município cearense apresentava média no nível adequado em Língua Portuguesa e Matemática. Em 2016, o resultado do 5º ano cresceu de forma considerável, mostrando que 31 municípios cearenses já se encontram com média no nível adequado nas duas disciplinas.
Os resultados começam a aparecer. O Ensino Fundamental II, que inclui as crianças do 6º ao 9º ano, teve seu acompanhamento pelo Spaece, a partir de 2012. Naquele ano, o percentual de alunos no nível adequado em Língua Portuguesa era de 8,6%, subindo, em 2016, para 15%. Já em Matemática, o percentual de alunos no nível adequado passou de 3,9%, em 2012, para 7%, em 2016. As estratégias para alcançar a melhoria neste nível de ensino incluem o acompanhamento das escolas, a formação de professores e a utilização de material didático.
    Comente pelo Disqus
    Comente pelo Facebook
#Compartilhe